Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Acerca do sucesso escolar

por beatriz j a, em 17.02.19

 

Os factores que são decisivos para o sucesso escolar estão muito estudados. Sabemos quais são. Não é necessário, como fazem no colégio de Cascais, rezar, ter reforço de horas em todas as disciplinas de exame (reparei que nesse colégio deixam a Filosofia de fora desse reforço :)) religião e pensamento autónomo nunca se deram muito bem... ) e outras coisas do género.

 

Não é necessário nem desejável que os alunos abdiquem de ter vida própria e que passem todo o dia a estudar, do mesmo modo que não é necessário nem desejável que os professores abdiquem de ter vida própria e que passem todo o dia a ensinar.

 

Sei, como muitos outros professores (uma pessoa se lê, se se interessa, tem experiência e não é burra vê os padrões) o que é necessário para o sucesso escolar. Aliás, digo-o aos alunos e aos pais, nas turmas da minha direcção, logo na primeira reunião que tenho com eles. Mesmo só apanhando os alunos no 10º ano, o que é tarde (melhor seria se tivessem certos métodos e hábitos desde cedo), vão a tempo, na maioria dos casos, se houver vontade para inverter maus caminhos. É claro que há casos particulares que necessitam de mais investimento e outras estratégias mas também isso se consegue se houver vontade e a tutela nos deixar trabalhar.

 

O problema são os pais. Uma pessoa precisa da colaboração dos pais porque interessar-se pelo estudo não é natural na maioria dos alunos e requer envolvimento dos pais. Só que muitos não colaboram.

 

* Seja porque estão sempre numa posição, não de educadores dos filhos mas de avogados de defesa, como se os professores fossem inimigos dos alunos. Nisso são influenciados pela tutela que apregoa o direito ao sucesso sem esforço e a inutilidade da experiência dos professores no percurso dos alunos. Também a maneira como todos os governantes e gente que vai à TV fala como se fossem especialistas de educação leva os pais a acharem que estão na mesma posição que os professores para perceberem o que é necessário fazer relativamente ao sucesso escolar;

* seja porque não estão para ter esse trabalho: educar dá trabalho, os miúdos resistem à ordem, é preciso dedicar tempo, insistir, ser coerente e persistente, saber ter autoridade sem ser autoritário, etc.; os pais nem sequer percebem que os filhos, na escola, estão incluídos num grupo-turma e que o grupo todo é influenciado pela maneira como cada um se comporta e age e que o fazemos tem que levar isso em conta.

 

É claro que há outros factores: as contradições da tutela que por um lado obriga a programas mostrengos com professores com excesso de turmas cheias a abarrotar; horários com tempo lectivo como se fosse não lectivo, obrigações inúteis, burocracias para controlar professores que roubam tempo, reformas que reduzem os currículos ao mínimo ou reformas imbecis que tratam os alunos como coitadinhos, a gestão sufocante e abortante das escolas deixada pela Rodrigues e muitos outros factores que são obstáculos ao nosso trabalho se levamos a sério os nossos deveres para com os alunos. São obstáculos, também, ao desenvolvimento e progresso dos próprios alunos e das suas potencialidades.

 

No entanto, mesmo no meio destas dezenas de reformas contraditórias e erradas, se os pais seguissem certos conselhos que lhes podemos dar acerca de como se conseguir o sucesso e colaborassem connosco influenciando os filhos, eles conseguiam ir onde nunca pensaram poder ir. A verdade é que muitos vão.

 

publicado às 10:00


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics