Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Hoje é o dia mundial do sono

por beatriz j a, em 16.03.18

 

Dia Mundial do Sono e o Lisbon Sleep Summit – Sleep in Women

Hoje em dia dorme-se pouco em todas as idades. Portugal exagera com médias de duração do sono assustadoramente baixas e hábitos de sono dos mais tardios no mundo.

 

Sabe-se pouco sobre o sono e o que se sabe não é suficiente para nos pôr a dormir... essa é que é essa.

 

publicado às 11:44

 

 

Amanhã vou a uma consulta do sono por causa das minhas insónias. Estou cheia de curiosidade em saber o que é que se faz numa consulta do sono. Testes de apneia? Isso não tenho. Espero que não me contem a lenga-lenga de não poder estar no computador antes de dormir porque isso não faço. Além do mais gosto de acordar de madrugada, só que preferia que fosse lá para as cinco e meia em vez de ser às três e meia. Outro dia disse a alguém que me perguntou quantas horas lia por dia que lia uma média de quatro horas. A pessoa disse-me que não tinha tempo para isso. A questão é que eu também não tenho mas arranjo e as insónias são um grande motor de leitura. Não sei se estou diposta a trocar a leitura por horas de sono...

 

 

 

publicado às 19:57


Thanks :)

por beatriz j a, em 21.06.15

 

 

 

via stuff no one told me

 

 

Tags:

publicado às 22:38

 

 

 

...em dias de não sair de casa e ficar no quentinho a beber um vinho quente e a ver um filme qualquer...

Hoje descarreguei uma aplicação gratuita para o Tablet chamada, 'Sleep as Android'. Como o nome evoca, é uma espécie de 'Sleep as a Baby' com o auxílio do programa.

Programei uma hora para acordar nos próximos dias antes de voltar à escola para experimentar a qualidade do serviço. Inclui uma medição das fases do sono com um acordar optimizado para o fim de um dos ciclos de sono, opções de músicas e ruídos para facilitar a entrada no sono e um serviço de relatórios quinzenais dos padrões de sono.

Vamos ver o que me diz sobre o meu sono... e se resulta melhor que o pedacinho de comprimido que passei a tomar desde que deixei de dormir prolongadamente, como sempre acontecia antes de deixar de fumar e de me tornar excessivamente lúcida... fumar tem os seus custos mas deixar de fumar também os tem...

 

.

da net

 

publicado às 20:02


E assim se passou o dia

por beatriz j a, em 29.07.13

 

 

 

 

Sol e praia. Sono.

 

 

Boticcelli, 'O nascimento de Vénus'

 

Tags:

publicado às 22:07


insónia

por beatriz j a, em 12.09.11

 

 

 

O meu cérebro, de há uns anos a esta parte, faz lembrar aqueles telemóveis que ao fim de estarem ligados à corrente dez minutos para carregar a bateria dão logo (falso) sinal de já estarem carregados com os pauzinhos todos. Assim sou eu. Caio a dormir num instante e ao fim de uma hora e meia ou três, cá estou eu acordada.

Acho que foi uma praga da Lurdes Rodrigues: durmo por blocos...

 

Tags:

publicado às 05:06


30 °

por beatriz j a, em 08.08.11

 

 

 

A esta hora {#emotions_dlg.confused}

Sou como os putos. Primeiro dia de praia é como se tivesse levado uma sova. Já estou cheia de sono. Subi à açoteia para ver se corria uma aragem mais fresca. Não. Mas vi que a lua está quase cheia.

Ouço daqui os rapazes a falar. Toda a gente fala alto aqui em casa e todos querem ter razão em tudo. Argumenta-se tudo...

Amanhã é dia de ir ao mercado. Agora vou bater à porta do Morfeu...espero ter algum sonho agradável.

 

Tags:

publicado às 22:26


contar tubarões

por beatriz j a, em 30.08.10

 

 

 

Castaway

 

 

Não se pode ver filmes de terror à noite. Sobretudo com este calor.

Tags:

publicado às 02:14


o ensino da matemática

por beatriz j a, em 03.11.09

 

 

Hoje fiz um pequeno inquérito oral numa turma do 10º depois de notar que a ....... estava outra vez a abrir a boca de sono. Na aula das dez da manhã. Fiquei a saber que muitos alunos dormem uma média de 4 ou 5 horas por noite. Todas as sextas e sábados saem (a maioria mete-se fortemente nos copos) e chegam a casa lá para as 3, 4 ou 5 da manhã. Ficaram muito admirados de saber que são necessárias várias horas de sono seguido -aí umas oito, bem contadas- para manterem as capacidades de atenção, concentração, memória, etc em níveis que possibilitem a aprendizagem. Que precisam dos últimos ciclos de sono para determinado tipo de sonhos que sabemos serem importantes para o equilíbrio psicológico (embora não se saiba ao certo porquê). Ficaram ainda mais admirados de saber que por cada directa que fazem, levam cerca de uma semana a recuperar. Muitos estão num permanente deficit de sono, vêm para as aulas meio a dormir e nunca estão naquele estado de alerta e concentração necessários. Outros tentam falar ao telefone.

Na turma anterior tirei dois telemóveis que foram para o C.E. com ordem de só os entregarem aos pais. As meninas estavam a mandar (e a receber?) mensagens.

Bem pode o novo director do ensino de Matemática falar em mais horas para o ensino da Matemática e mais formação de professores...isso não vai mudar um pontinho sequer nas percentagens de insucesso. O que é preciso mudar é a atitude dos alunos e dos pais e o regulamento dos alunos. Só para começar. Outras coisas serão necessárias, mas se isto não mudar todas as medidas serão inúteis, porque é o mesmo que querer que um indivíduo obeso bata o record do salto em altura obrigando-o a tentar mais horas por semana. LOl, para quê? Enquanto não mudar de atitude e se disciplinar com uma dieta correcta de nada valem horas a mais de treino.

Aqui há tempos li aí num blog que fizeram uma experiência numa escola. Uma psicóloga (acho eu) fez tutoria de 3 alunos. Combinou com eles e com os pais as regras que deveriam seguir para mudar os resultados escolares: deitar cedo e dormir a noite toda; não faltar às aulas; levar sempre o material para as aulas; nas aulas, tirar notas e mais tarde organizar os cadernos; fazer um plano de estudos semanal. Resultado:os miúdos subiram drasticamente as notas. LOL isto é para rir, pois é o que todos deviam fazer. É isso é que é ser estudante: estudar?! Não é preciso ser muito esperto para perceber que isso resulta e já todos os professores foram 'tutores' de alguns ou muitos alunos.

Se cada professor tivesse, não digo 3 alunos para acompanhar, mas 30, também era tutor deles. Mas não. Têm 30 x 4 ou 5 ou 6 ou 7 ou até mais. Se os pais colaborassem cumprindo o seu dever de pais: não permitirem saídas frequentes e tardias em tempo de aulas, garantirem que dormem o suficiente, que levam o material para as aulas, não andarem a mandar sms a toda a hora aos filhos, etc., as coisas seriam muito diferentes. Ou, se as televisões ajudassem, ou pelo menos não desajudassem, passando programas estupidificantes e que só desenvolvem a passividade e a incapacidade de resistir à frustração bem como a recusa de tudo que não dê prazer imediato, muita coisa seria diferente. De facto.

Como ninguém quer saber, estas medidas de mais horas disto e mais formação daquilo só servem para massacrar uns e outros sem nenhum benefício.

A educação custa dinheiro. Sai cara. Quanto se cobra num colégio particular para garantir que as turmas são pequenas? Que todos os miúdos têm um tutor ou mentor? Quantos pais não colaboram? Nenhum. Todos colaboram sob pena de os seus filhinhos darem lugar a outros.

A educação tem a ver com atitudes e modos de estar. E sai cara. E a escola pública tem sido drenada de fundos e de pessoas - professores e funcionários. E para quê? Não sei. Talvez para que políticos e gente da administração pública tenha mais dinheiro à disposição para roubar, como se vê todos os dias nos jornais.

Para melhorar o ensino da matemática é que não é.

 

 

 

publicado às 20:16


Poesia de fernando pessoa - O sono

por beatriz j a, em 13.09.09

 

 

lucien bernhard

 

 

O SONO

 

O sono que desce sobre mim,
O sono mental que desce fisicamente sobre mim,
O sono universal que desce individualmente sobre mim —
Esse sono
Parecerá aos outros o sono de dormir,
O sono da vontade de dormir,
O sono de ser sono.

Mas é mais, mais de dentro, mais de cima:
E o sono da soma de todas as desilusões,
É o sono da síntese de todas as desesperanças,
É o sono de haver mundo comigo lá dentro
Sem que eu houvesse contribuído em nada para isso.

O sono que desce sobre mim
É contudo como todos os sonos.
O cansaço tem ao menos brandura,
O abatimento tem ao menos sossego,
A rendição é ao menos o fim do esforço,
O fim é ao menos o já não haver que esperar.

Há um som de abrir uma janela,
Viro indiferente a cabeça para a esquerda
Por sobre o ombro que a sente,
Olho pela janela entreaberta:
A rapariga do segundo andar de defronte
Debruça-se com os olhos azuis à procura de alguém.
De quem?,
Pergunta a minha indiferença.
E tudo isso é sono.

Meu Deus, tanto sono!.
..

Álvaro de Campos, in "Poemas"

 

publicado às 13:02


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics