Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O dia e a noite, a luz e as trevas

por beatriz j a, em 21.07.19

 

Journey to Space

 

A Separação da Luz e das Trevas de Miguel Ângelo

 

publicado às 21:00


Iluminada

por beatriz j a, em 06.01.19

 

 

publicado às 22:17


Ruptura azul noite

por beatriz j a, em 03.12.17

 

 

Floyd Arthur  - Winter Lake, Mount Rundle, Canada

 

publicado às 20:34


Com a noite vêm os sonhos

por beatriz j a, em 05.03.17

 

 

 

Tags:

publicado às 19:49


Cai a noite

por beatriz j a, em 01.03.17

 

 

Hiroshi Yoshida - Konoshima, Night Scene on the Inland Sea 

 

 

publicado às 22:49


"Meu tempo é quando"

por beatriz j a, em 15.12.15

 

 

 da NASA

 

 

De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo.

A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte.

Outros que contem
Passo por passo:
Eu morro ontem

Nasço amanhã
Ando onde há espaço:
– Meu tempo é quando.

 

Vinicius de Moraes

 

 

publicado às 21:41


Quando for grande quero ir viver para o campo

por beatriz j a, em 25.08.14

 

 

 

Hoje só não durmo na açoteia porque está a pôr-se um bocadinho de humidade. Fui lá olhar as estrelas. Por sorte viémos na altura da lua nova e o céu está lindo. É certo que se estivesse lua cheia dava para ir até à praia e era toda uma outra beleza. Mas esta agrada-me. O meu telemóvel marca 29º a esta hora.

Deitada na espreguiçadeira com os olhos fixos no céu, à medida que os olhos se habituam à escuridão, cada vez se vê mais estrelas. Primeiro só se vê as mais brilhantes e as constelações, a certa altura vê-se toda a poalha da Via Láctea e os aglomerados de menos brilho.

Depois, à noite, há um acordar das espécies noctívagas. Por volta das sete e meia os filhotes de andorinha que estão nos dois ninhos do alpendre, saem e esvoaçam em círculos cada vez mais alargados a experimentar o voo. Fazem isto durante uns quinze minutos após o que regressam ao ninho para dormir. Às nove começa a ouvir-se o cri-cri dos grilos e o arrolhar dos pombos e rolas.

Na hora que estive deitada a olhar as estrelas vi uma estrela cadente, sobrevoou-me uma cegonha, dois morcegos e um bando de pássaros que não identifiquei.

Não admira que os antigos e, as pessoas do campo, também, a levar na cara, diariamente, com esta ostentação de vida e efusão de brilho nocturno -o céu parece mesmo um tecto abobadado cravejado de brilhantes- se perguntassem e perguntem, Porquê e, para quê, isto tudo?

Da minha açoteia, perante este cenário, todas as guerras e todas as lutas de poder parecem mesquinhas, vãs e inutilmente suicidas...

Quando for grande quero ir viver para o campo. Quero, todos os dias, embebedar-me de sonhos com este espectáculo cósmico.

 

 

 imagem da net

 

publicado às 23:25


Anoitecer algures no planeta

por beatriz j a, em 12.12.13

 

 

 

Photograph A Sea of Cloud and Mt.Fuji by MIYAMOTO Y on 500px

by Miyamoto - This place is near lake Yamanakako in Yamanashi pref. The lake is under a sea of cloud. ( taken at 4:16 AM, temp. is -12 degrees C )

publicado às 18:35


uma noite quente e um céu fabuloso

por beatriz j a, em 21.09.13

 

 

 

 

publicado às 20:26


Mesmo a calhar

por beatriz j a, em 02.12.12

 

 

 

 

O meu vizinho de baixo veio trazer-me uma taça com marmelada. Está óptima! O outro meu vizinho dois andares mais abaixo veio aqui trazer castanhas acabadas de assar! Veio mesmo a calhar porque tenho metade do trabalho ainda por fazer de modo que hoje vou ter noitada e preciso de 'dopamínicos'.

 

publicado às 20:54


onde estão as noites de verão?

por beatriz j a, em 11.07.12

 

 

 

 

jack vettriano

 

 

Estamos a meio de julho e estão aqui 16 graus! Tenho saudades das noites quentes de Verão. Agora ia até à borda do rio sentar-me na esplanada e ficar assim à conversa, a sentir a brisa da noite. Brisa? Está aqui uma ventania fria que não apetece sair.

Estou a precisar de férias. Sair daqui e ir até um país qualquer com noites quentes.

 

publicado às 22:09


Um ano na vida desta professora - 37... noite

por beatriz j a, em 05.12.11

 

 

 

A ver testes até agora depois dum dia de trabalho que começou lá para as cinco da manhã... dava tudo por um chocolate...

 

publicado às 22:07


noite

por beatriz j a, em 25.07.11

 

 

 

 

 

 

Ainda a noite não se anuncia
e já penso em fechar os olhos
que assim se passa a vida
com um encolher de ombros.

 

publicado às 21:12


sol e noite

por beatriz j a, em 26.04.11

 

 

 

 

 

 

Cada um está só sobre o coração da terra

Trespassado por um raio de sol:

E de repente é noite.

 

(Salvatore Quasimodo)

 

publicado às 05:06


cai a noite

por beatriz j a, em 14.04.11

 

 

 

Cai a noite

há tanto anunciada

vem afoita

e não é desejada.

 

bja

 

publicado às 00:44


pensamentos de dois mélreis

por beatriz j a, em 09.09.10

 

 

De noite tudo se adensa.

 

publicado às 22:39


aqui da minha varanda

por beatriz j a, em 15.07.10

 

 

 

 

 

 

Aqui da minha varanda está uma noite absolutamente romântica. Corre uma brisa fresca, as luzes da baía reflectidas nas águas do rio, os barcos na marina com os mastros iluminados em contraluz e a lua que parece um gomo de limão em tom de baunilha leitosa. Só vendo.

É claro que de dia o cenário é outro...a cidade pobre e decadente. Mas até ao amanhecer é uma espécie de gata borralheira.

 

publicado às 22:45


feiticeiro da noite

por beatriz j a, em 20.04.10

 

 

Chamadas perdidas

vozes queridas

vozes distantes

mas não esquecidas.

Eras tu que ligavas

feiticeiro da noite?

Eras tu que chamavas

companheiro do dia?

 

bja

publicado às 04:45


céu estrelado

por beatriz j a, em 20.02.10

 

 just like that

 

 

 

publicado às 03:11


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics