Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

Ambas na noite de 9 para 10 de Novembro - uma símbolo de liberdade, esperança, união e tolerância, outra símbolo de opressão, divisão, perseguição e intolerância: a queda do Muro de Berlim, há 29 anos e a Noite de Cristal, há 80 anos. Por estranha coincidência calharam a começar na mesma noite de 9 de Novembro. 

 

Uma pessoa esquece-se, no meio dos perigos da situação mundial actual, como se viviam tempos de demência demoníaca em grande parte da Europa e no mundo há 80 anos, a lembrar que nós humanos somos construções mal erguidas sobre instintos muito primitivos e que as grandes vontades cuja forças são capaz de ultrapassar grandes obstáculos, são as mesmas que, dirigidas para o mal, são capaz de grandes bestialidades.

 

De lá para cá evoluímos muito positivamente, primeiro devido à NATO, segundo devido à UE. Destruí-las agora numa altura em que tantos líderes pelo mundo fora resvalam para o autoritarismo e força bruta, seria um dramático revés e há forças -Trump, Putin e outros- a trabalhar persistentemente para a sua destruição.

 

A NATO sempre me pareceu uma recriação alargada da 'Aliança Inglesa', a aliança luso-britânica que vigora entre Portugal e Inglaterra desde 1373. Os termos são idênticos: se um dos países for atacado o outro acorre a ajudar e nenhum pode fazer acordos ou agressões que impliquem a guerra contra o parceiro de aliança. Esta aliança, que começou com a ajuda inglesa à Casa de Avis, já foi invocada pelos ingleses contra o Napoleão, contra os alemães na Primeira Grande Guerra e mais recentemente na Guerra das Malvinas e pelos portugueses na Segunda Grande Guerra, para impedir os americanos de usarem e, até, invadirem os Açores para usar as ilhas como bases de guerra. A verdade é que desde 1373 que não temos conflitos armados com a Inglaterra. Isso mostra que a diplomacia pode ter efectivamente sucesso.

 

A UE, para além de ter dado dezenas de anos de paz e bem-estar à Europa (o dinheiro e as forças canalizadas para o desenvolvimento e não para guerras) representa ou representava uma possibilidade de acordo, cooperação e tolerância entre povos bélicos que sempre se guerrearam. Este projecto, tendo sucesso, quem sabe não seria modelo para outros mesmo que em moldes diferentes. Acima de tudo seria uma 'prova' de que a força de vontades, bem guiada por uma visão e valores positivos, pode mais que a ganância, a vontade de poder e o medo. O planeta precisa de exemplos positivos.

Infelizmente não parece termos líderes que percebam o que está em jogo, pelo menos, não no sentido de sacrificarem os seus desejos de hegemonia e deslumbramento com o poder.

 

As cicatrizes em si não são necessariamente negativas pois podem ser testemunhos de curas como neste caso da queda do Muro de Berlim.

 

 a queda do muro faz 29 anos (imagem da net)

 imagem da net

 

 a 'Noite de Cristal' faz hoje 80 anos

00_big.jpg

 Wiki - Memorial à 'Noite de Cristal" em forma de Tora partida (Berlim)

 

publicado às 13:18

 

 

Ironicamente, no dia da eleição do indivíduo que defende (e representa) a construção de muros de divisão e ódio.

 

 

 

publicado às 11:22

 

 

 

In 1963, a group of West German students set out to dig a tunnel underneath the Berlin Wall.

 

 
smithsonian.com
 
Uma padaria abandonada, umas pás e uns tostões foi tudo o que uns estudantes universitários precisaram para desafiar a barreira simbólica da Guerra Fria.
 
 
 

publicado às 15:51


25 anos da queda do muro de Berlim

por beatriz j a, em 09.11.14

 

 

Antes da queda:

 

 

 

Durante:

 

 

 

 

 

 

 

 Depois:

 

 

 

 

publicado às 15:36


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics