Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

 

 
Gwilym David Blunt
Raisons politiques, 2018/1 (nº69), p.83-99
 
Gwilym Blunt argumenta que, se partimos do princípio que os escravos fugitivos não fizeram nada de mal em fugir do cativeiro, então temos que ter a mesma atitude para com os imigrantes ilegais que fogem da violação dos direitos humanos pelo sistema internacional cosmopolita que regula de modo injusto a distribuição da riqueza, privilegiando os países do Norte em detrimento dos do Sul. A pobreza global imposta, apesar de evitável, é entendida como uma violação dos direitos humanos, de modo que a resistência é justificável. Se entendemos a fuga dos escravos temos que entender a fuga a uma experiência de extrema pobreza imposta, que é uma outra forma de dominação.
 
 
A história desta indiana, não sendo uma história de imigração ilegal, é uma história de fuga de um país, a Índia, onde as mulheres são vistas como seres humanos inferiores e, por isso, objecto de violações sistemáticas e inescapáveis de direitos humanos, que é uma outra forma de dominação. 

Why an Indian girl chose to become an American woman

I grew up accepting that I would have to adjust my lifestyle around men, their advances, their violence. It happened every day in India. Women were brutally raped, assaulted and killed on a daily basis, sometimes in cities, many times in remote, isolated villages and towns. Those incidents, we would never find out about.

I could never again live in a country where, to some, to many, I was less than a human.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

 

 

"A estátua da Liberdade é um símbolo da liberdade americana a iluminar o mundo"... os americanos têm o complexo de César... enfim, agora, uma pessoa que queira emigrar para os EUA tem que chegar lá já a saber falar inglês.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:54


Professores expulsos porque ganham de menos

por beatriz j a, em 29.03.16

 

 

 

Teachers sent packing in midst of recruitment crisis – because they earn too little

 

Kelly Wilcox teaches English in a secondary school in south London. Her students are thriving. She has a boyfriend and a cat and a job she loves. She grew up in Connecticut in the US, but now her life is here. At least that’s what she thought.

Under immigration rules that come into force next month, skilled workers – including teachers – from non-EU countries will need to earn at least £35,000 to remain in the UK permanently.

With a salary of just over £29,000, Wilcox faces having to leave the country - and her beloved pupils - at a time when headteachers are facing a desperate shortage of teachers.

 

Ser professor numa escola nunca foi uma profissão de ganhar muito dinheiro mas também não era uma profissão para empobrecer. Agora é. Com as novas leis de imigração para trabalhadores que venham de fora da UE, a Inglaterra só deixa ficar os que ganhem, pelo menos, 35.000 libras, o que está acima das 29.000 libras de salário dos professores. E isto no meio de uma crise de falta de professores porque... ninguém mais já quer uma profissão cada vez mais sem autonomia, sem prestígio e sem salário e condições decentes.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:17


Requisitos para viver na Nova Zelândia

por beatriz j a, em 17.02.16

 

 

 

Ser alto, louro, magro e sem doenças. Onde é que eu já ouvi isto.

 

Prestigious academic to quit New Zealand after autistic son refused residency

 

Obese South African chef loses immigration fight to remain in New Zealand

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:59


🐸 A Inglaterra anti-imigrantes

por beatriz j a, em 27.12.13

 

 

 

Deputados britânicos do Partido Conservador (conhecidos também por Tories) reagiram com violência ao alerta de António Guterres sobre a nova lei de imigração britânica, afirmando que não aceitam lições de "um socialista português que se transformou num não eleito burocrata internacional". (DN)

.

 

The Guardian

In the UK illegally mobile billboard
The text on the ads runs: "In the UK illegally? Go home or face arrest." It continues: "106 arrests last week in your area*.
.
Se isto não é agressivo vou ali e já venho...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:33

g.a


3-8-12



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



PageRank