Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Fátima Costa

 

publicado às 07:02


Poesia

por beatriz j a, em 10.01.18

 

 

Ah... que bela poesia há num dia de invernia.

Heidi Moreno 

 

publicado às 05:21


Quase primavera

por beatriz j a, em 05.03.17

 

 

 

 Gustav Klimt

 

publicado às 06:02


Pierre-Joseph Redouté

por beatriz j a, em 19.06.15

 

 

Assinalam-se hoje 175 anos da sua morte. Pintor e botanista, ficou conhecido pelas aguarelas de flores, sobretudo rosas, de tal maneira que lhe chamavam, O Rafael das Rosas.

Uma mestria, uma atenção ao detalhe e um gosto extraordinários. Foi artista e professor de arte Maria Antonieta e das duas mulheres de Napoleão. Por causa dele gerou-se, na época de Napoleão, uma moda de plantar e criar rosas que passou depois para a decoração, o papel de parede, os tecidos, etc. Alguma rosas, chamadas, 'rosas antigas', já só as podemos contemplar nas suas pinturas, visto que se perderam.

Redouté morreu em Paris mas era belga, da pequena cidade de Saint-Hubert, nas Ardenas. Para quem mora para essas bandas pode ir visitar o museu  MUSÉE PIERRE-JOSEPH REDOUTÉ  | e apreciar as suas obras.

 

 

 

 

publicado às 18:02


Bom dia

por beatriz j a, em 28.04.15

 

 

 

 Johann Jakob Walther - da: Horti Itzsteinensis, XVII sec., Victoria and Albert Museum

 

 

publicado às 05:34


Porque é que ainda não fui aqui...??

por beatriz j a, em 03.01.15

 

 

 

Ilha das Flores, Açores 

 

 

publicado às 21:06


Very good and dangerous things...

por beatriz j a, em 19.04.14

 

 

 

 Esta comprei-a. Pu-la na cozinha, deita um aroma maravilhoso :))

 

 

 

 Esta foi oferecida :))

 

 

 Primeira camada :))

 

 

publicado às 12:45


Já é primavera

por beatriz j a, em 20.03.14

 

 

 

 

by Weirana

 

 

publicado às 23:00


Bom dia :))

por beatriz j a, em 19.02.14

 

 

 

Todas as cores com flores para o dia! Bom dia.

·

publicado às 05:50


Para não esquecer

por beatriz j a, em 06.11.11

 

 

 

 

...que apesar de tudo o mundo está cheio de beleza.

 

 

 marcella kaspar

 

publicado às 09:38


flora - açucenas

por beatriz j a, em 14.09.11

 

 

 

 

The Great Lily of Nainee Tal, in North India

publicado às 08:56


Gosto muito

por beatriz j a, em 31.07.11

 

 

 

Das flores que me deram hoje. São o Verão numa jarra :)

 

 

 

 

Não é que eu ligue muito a essa cena do aniversário...

 

 

 

 

...mas gosto de coisas bonitas.

 

 

 

publicado às 12:27


As bençãos da terra

por beatriz j a, em 08.07.11

 

 

 

 

 

Hoje, quando vínhamos de Palmela de mais uma caminhada vinha a reparar nas Magnólias e nas Buganvílias. Estas então nascem por todo o lado. Qualquer quinta abandonada tem um maciço de buganvília exuberante que cai como uma cabeleira sobre o muro. Elas são roxas, umas, e outras daquele tom cerise forte. Intervaladas com as magnólias em flor e com os eucaliptos gigantes... isso e o céu de um tom azul indígo brilhante com núvens em forma de andorinhas... não sei, bençãos da natureza que acalmam o espírito.

 

 

publicado às 22:08

publicado às 23:56


Blues in the morming

por beatriz j a, em 19.06.11

 

 

 

 

jill brooks

 

publicado às 10:13


a violência das flores

por beatriz j a, em 11.06.11

 

 

 

keith miller

publicado às 09:29


a felicidade por dois euros

por beatriz j a, em 24.04.11

 

 

 

patrick gordon

 

 

Não há um dia das rosas, ou dos narcisos, ou das gardénias, ou do jasmim, ou dos amores-perfeitos? Há dia mundial de tanta coisa...as flores alegram tanto a disposição, sobretudo se têm aroma perfumado. Temos tantas flores e há tão poucas floristas. E as que existem têm tão pouca variedade de flores. E caríssimas. Uma pessoa viver no campo e todos os dias poder andar no meio de flores e cheirar flores é um luxo.

Li que as pessoas muito infelizes compram flores, sobretudo rosas, à segunda-feira, que é uma maneira de se precaverem contra as expectativas negativas que têm para a semana. Não sei se tenho um dia para comprar flores. Sempre que posso compro. Agora ando à procura dum vaso com três narcisos azuis. Vi um outro dia no supermercado. Lindos, os narcisos. E que aroma. Fiquei que tempos a cheirá-los. Não sei porque não os trouxe. Custavam dois euros. A felicidade por dois euros...devia tê-los trazido.

 

publicado às 23:56


as palavras podem ser como as flores...

por beatriz j a, em 29.03.11

 

 

 

Patrick Gordon

 

publicado às 21:17


tons de rosa

por beatriz j a, em 24.01.11

 

 

 

Anne Midleton

 

 

 

As cores são o mais belo do mundo

Medito e sonho no azul claro dos céus

arranco as pulsões ao verde profundo

dos bosques cerrados que faço meus.

(...)

bja

 


publicado às 05:59


miosótis

por beatriz j a, em 04.12.10

 

 

 

Em inglês, 'forget me not'; em italiano, 'non ti scordar di me'

 

 

 

 

 

Quando eu era miúda e vivia no Alentejo havia um pequeno jardim mesmo em frente da casa quase tapado pelas copas das árvores que o bordeavam e que se enredavam no topo a formar uma espécie de tecto rendilhado. No Verão estava sempre fresco lá dentro e o sol passava em renda pelas folhagem das árvores altas. À entrada do jardim estavam dois canteiros com massiços de miosótis, bocas-de-lobo, violetas e amores perfeitos. Ainda hoje sou capaz de fechar os olhos e trazer à memória o aroma delicadíssimo campestre dessas flores e, quando passo por flores dessas em qualquer lado, vem-me imediatamente à memória a frescura de penumbra rendilhada desse jardim. Penso sempre que o nome 'forget me not' não podia estar mais bem posto.

 

publicado às 09:57


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics