Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Nogueira afasta qualquer possibilidade de numa eventual greve vir a recorrer a uma plataforma de financiamento (‘crowdfunding’) para cobrir os custos, como fizeram os enfermeiros. "Os professores não são mercenários, lutam pelos seus meios e nesta matéria acho que posso falar pelas 10 organizações sindicais de docentes", afirmou o sindicalista.

Não me parece correcto que ele chame mercenários aos enfermeiros nem me parece que ele fale em nome dos professores nesta matéria. Fala em nome dos outros sindicalistas o que é uma coisa muito diferente.

 

publicado às 21:21


Sim, sim... a prioridade é irem de férias

por beatriz j a, em 12.07.18

 

 

Ao contrário do Stop, a plataforma sindical, de que fazem parte da Fenprof, a FNE e outras oito estruturas sindicais, dá a greve por encerrada nesta sexta-feira. A decisão “não tem a ver com a reunião” com o ME, afirma Mário Nogueira, que tem sido o porta-voz do grupo. O pré-aviso da plataforma sindical era válido até ao dia 13 de Julho e não vai ser prolongado. “Há um momento em que tem que se parar, retemperar forças, para depois retomar a luta”, defende o dirigente.

 

publicado às 20:00

 

 

Que o governo está disposto a tudo para destruir os professores e a carreira docente já sabemos. Vamos ver se o consegue.

 

Fenprof "não aceita" acórdão a fixar serviços mínimos

Federação sindical informa que vai pedir aclaração de acórdão do colégio arbitral no sentido de averiguar se foram praticados "atos ilegais" na forma como decorreu a seleção dos árbitros

A Fenprof apela ainda a que os professores "se mantenham firmes e empenhados" nos últimos dias de greve desta semana.

 

publicado às 08:39

 

 

Fenprof diz que há "novo quadro" parlamentar favorável aos professores

 

 

publicado às 21:34


Se isto é verdade, a FENPROF tem razão

por beatriz j a, em 25.04.14

 

 

...porque o ME, ora usa o argumento da excepcionalidade da carreira docente, ora o da não excepcionalidade da carreira docente, como lhe convém, sempre para prejudicar os professores. E, a ser verdade a falta de honestidade negocial concretizada no sonegar de informação, neste caso através da tentativa de tornar as actas irrelevantes e, com isso, pretender tornar as vozes críticas irrelevantes, acho muito grave: é exactamente por causa da impunidade com que os que deviam dar o exemplo se comportam de forma anti-democrática que depois, por esse país fora, todos os gatos pingados que têm um cargozinho qualquer se acham validados para se comportarem como pequeninos ditadores que destroem tudo e todos à sua volta que não sejam seus capachos.

Comemora-se hoje o dia da Liberdade mas, para essa gente que se arrasta pelos corredores do poder, isso é uma palavra que usam mas não praticam.

 

 

Fenprof leva vinculação docente ao fim de cinco anos ao TC
.
.

Entende a Fenprof que o Ministério da Educação e Ciência (MEC) desrespeitou a lei negocial, por não ter havido a negociação suplementar da proposta de diploma que revê o regime de concursos de professores e educadores, conforme solicitado pelos sindicatos.

 

A confirmar também que o processo não foi concluído, está o facto de as atas não terem sido assinadas, nem sequer dadas a conhecer a todas as organizações sindicais envolvidas. E não foram porque o MEC, na primeira versão que enviou, por exemplo, à Fenprof, omitiu partes importantes da reunião [...]. Essa ata foi devolvida e o MEC teve de fazer uma nova versão que não está ainda assinada, e cujo conteúdo é desconhecido das três organizações sindicais", defendeu a federação de professores.

A Fenprof pretende ainda denunciar a situação aos grupos parlamentares, "para que a Assembleia da República tome as medidas adequadas no sentido de ser cumprida a lei".

 

A alteração legislativa hoje aprovada pretende acabar com as situações de docentes que, até agora, eram contratados durante anos a fio sem serem integrados nos quadros das escolas.

 

Agora passa a haver um limite de cinco anos de contratos de trabalho consecutivos, no caso dos professores com horários anuais e completos.

 

As reuniões com os sindicatos para negociar este diploma terminaram sem acordo, com as duas federações representativas dos professores a defenderem que os docentes devem ser integrados nos quadros ao fim de três contratos, como estipulado no regime geral de trabalho.

 

O MEC tem defendido o afastamento da lei geral e a aplicação da regra dos cinco anos aos professores, com base no argumento da excepcionalidade da carreira docente.

 

 

publicado às 13:48


Acho bem

por beatriz j a, em 05.12.13

 

 

Fenprof confirma greve contra a prova

por Pedro Sousa Tavares


Sobre o acordo que dispensa da prova de 18 de dezembro os docentes com cinco ou mais anos de carreira, Mário Nogueira defendeu: "não dispensaram 20 mil: entregaram a cabeça de outros 20 mil".


Talvez já seja tarde demais, mas agiram bem porque seria uma grande traição e indignidade abandonarem os colegas só porque são mais novos e não têm maneira de defender-se sozinhos. Um autêntica facada pelas costas que foi o que fez a FNE.


publicado às 20:03


Mais do mesmo

por beatriz j a, em 27.11.13

 

 

Dirigente da Fenprof diz que se estivesse no lugar dos contratados se inscrevia para fazer a prova de avaliação

À espera das decisões definitivas dos tribunais, o dirigente sindical Mário Nogueira diz que "a vida ensina que é importante manter possibilidades em aberto"


É por esta e por outras que a maioria dos contratados com quem falo não são sindicalizados... quando se reformarem todos os professores da era 'pós-25 de Abril' a FENPROF desaparece naturalmente por falta de asociados...



publicado às 04:16


Marchas...

por beatriz j a, em 13.10.13


Fenprof chama professores e investigadores para marchas

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) apelou em comunicado à mobilização de professores e investigadores para as marchas convocadas pela central sindical CGTP-IN para o próximo dia 19.


Será que a Fenprof organiza estas marchas e ajuntamentos porque são o que dá menos trabalho, dá mais nas vistas e em nada os compromete? 



publicado às 08:34


Protestos? What the hell for?

por beatriz j a, em 05.05.13

 

 

 

 

Fenprof propõe protesto de professores para junho

Protestos leva-os... não o vento...  mas, as assinaturas de memorandos de entendimento. Nós tinhamos força e os sindicatos tiraram-nos a força: esvaziaram as manifestações de sentido (com as assinaturas de memorandos) e ajudaram à desunião dos professores (com a aquiescência à questão dos titulares, da gestão das escolas, dos concursos...). Protestos? Agora?  What the hell for...?

 

publicado às 10:22


Tem razão a fenprof

por beatriz j a, em 14.07.12

 

 

 

Queixa da Fenprof arquivada

DIAP confirma que houve erros na colocação de professsores, mas sem intenção

 

Pode não ter havido crime, mas existiu uma distorção grave nas colocações de professores com prejuízo de pessoas", afirmou hoje, ao PÚBLICO, o presidente da Fenprof, Mário Nogueira. O que interessa agora, acrescentou, é saber "o que o ministério vai fazer para ressarcir professores que deviam ter sido colocados o ano inteiro e ficaram desempregados durante todo esse período ou parte dele". Mário Nogueira lembra que as informações dadas na altura pelos directores confirmam que os problemas afectaram "mais de 13 horários". 

 

O problema com o Estado, em geral, é que nunca assume os erros até ao fim, quer dizer, de modo a pagar por erros e injustiças que comete. Dizer que foi sem intenção quer dizer que vão enterrar o assunto, tipo, não se fala mais nisso?

 

publicado às 08:24


Uma dúvida

por beatriz j a, em 11.03.12

 

 

 

 

FENPROF decidiu aderir à Greve Geral de 22 de março

A FENPROF decidiu aderir à Greve Geral de 22 de março. O respetivo Pré-Aviso será entregue na  segunda-feira, dia 12. A Federação decidiu ainda "promover um amplo processo de informação,esclarecimento, debate e mobilização para que a adesão dos docentes e investigadores à Greve Geral tenha um forte significado".

 

A FENPROF representa professores ou é patrão dos professores? Ou será que acham que, por a profissão ter uma grande maioria de mulheres estarão à vontade em decidir por elas, já que vivem na ilusão de que as professoras têm grande admiração por eles...?

 

 

publicado às 14:00


isto é só rir

por beatriz j a, em 06.05.11

 

 

 

Fenprof: Há uma "forma preocupante de silêncio" quando o tempo é de luta e denúncia

Primeiro desmobiliza e manda calar. Depois, queixa-se que não ouve barulho.

 


Tags:

publicado às 20:58


associação de ideas...

por beatriz j a, em 04.03.11

 

 

 

Educação: Concentração no dia 12 Campo Pequeno) marca início de meses agitados de contestação para Fenprof

Campo Pequeno...touradas...pegas...

 

Tags:

publicado às 21:21


ai é?

por beatriz j a, em 14.12.10

 

 

 

Federação quer pais, alunos e autarquias juntos no protesto

Fenprof agenda protesto nacional de professores para final de Março

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou hoje a realização no final de Março de uma “grande iniciativa nacional” de professores, na rua, para a qual vai convidar não docentes, pais, alunos e autarquias.

 

 

Março? Adora estas estratégias. Dezembro...Natal; Janeiro...descansar; Fevereiro...Carnaval; Março...manifestação; Abril...festas da Revolução; Maio...descanso; Junho...sardinhas e manjerico; Julho...ameaças ao Ministério; Agosto...praia; Setembro...ameaças; Outubro...mais ameaças; Novembro...greve. E vira o disco e toca o mesmo.

 

Novidade: convencer pais a pagar quota que os novos professores já não vão nessa...?

publicado às 20:45


pois...

por beatriz j a, em 23.11.10

 

 

 

 

Ministra responde com gargalhada a propostas da Fenprof

“Quem gere o Ministério da Educação são os (i)responsáveis do Ministério da Educação. As propostas de reestruturação partirão da tutela”, disse.

 

publicado às 06:59


estou farta 'desta' fenprof

por beatriz j a, em 03.05.10

 

 

FENPROF regressa às manifestações de rua  TSF

É o regresso da FENPROF às manifestações de rua. Os professores concentram-se, esta manhã, frente à residência oficial do primeiro-ministro.

O protesto dos professores vai contra a decisão do Ministério da Educação de incluir a avaliação como um dos critérios para o concurso anual de colocação de docentes.

O líder da FENPROF, Mário Nogueira, afirma que, para além de ser injusta, esta é também uma decisão ilegal.

 

Os comentários a esta notícia mostram bem o que tem sido o percurso errático e incompreensível da Fenprof. A maior parte dos comentários são a insultar os professores e a dizer que ganhamos fortunas para fazer nada e que só sabemos é queixar. Eu compreendo muito bem estes comentários. Quem está por fora dos problemas e só sabe dos assuntos pelos jornais e pela TV o que vê é o desatino do Mário Nogueira à frente do sindicato: ora vem gabar-se de vitórias, ora vem ameaçar, ora vem queixar-se, e isto tudo no espaço, às vezes, de um mês!

Quem é que poderá entender que depois de ter anunciado que todos os problemas estavam resolvidos e que tinha negociado um acordo extraordinário que satisfazia todas as reivindicações dos professores venha agora fazer ameaças de manifestações e processos jurídicos por nada ter conseguido!!! Eu, pessoalmente, também não entendo.

Hoje escreve um artigo a mandar bocas a quem não põe a unidade acima de tudo. Os idiotas é que põem a unidade acima de tudo: acima da razão, acima da dignidade, acima da verdade. Uma pessoa une-se a alguém que está do nosso lado a defender-nos. Por que razão haviam os professores de se unir a um indivíduo que teve os trunfos todos na mão e que os desperdiçou com a maior das incompetências?

Quem não se lembra que os sindicatos, em 2008, estavam à beira da morte? A Maria de Lurdes Rodrigues, essa outra que não entende quem pensa pela sua cabeça, nem se dava ao trabalho de os receber. Tratava-os como insectos! Foram os professores, muitos deles não sindicalizados, que lhes deram força para negociar. Força essa que usaram para fazer entendimentos à revelia dos colegas que dizem representar. Então e agora vem para os jornais dizer mal dos professores que devia ter representado mas que não soube representar? Um tipo que pelos vistos nem sabe o que assina? Faz acordos às cegas? Opá, que mau aspecto, agarrado ao poder dessa maneira! Porque é que não dá o lugar a outro que saiba trabalhar? É que não faz nem deixa fazer...

 


publicado às 14:55


rir ou não rir...

por beatriz j a, em 15.04.10

 

 

 

Há quem ande divertido com o teatro que a Fenprof e a ministra sorridente andam a fazer. Se calhar era o melhor, mesmo. Rir, rir barbaramente, como diz o Bordalo. Só que eu não tenho sentido de humor quando me obrigam a assistir a um teatro com maus actores e péssimo argumento onde, ainda por cima, quem paga a conta somos nós, a assistência. Ando sem humor nenhum para essas pantominas.

 

publicado às 18:28


lua de mel no fim

por beatriz j a, em 14.04.10

 

 

 

«A introdução da avaliação nos concursos de professores foi uma vingança de Maria de Lurdes Rodrigues. Quando em Dezembro de 2008 os professores estavam em vigília à porta do ministério e tinham uma greve marcada para 19 de Janeiro foi-nos dito que ou a FENPRPF e os sindicatos levantavam a greve ou o Ministério da Educação impunha a avaliação de desempenho nos concursos», declarou.

 

Nós vamos sabendo as coisas às pinguinhas, à medida que a lua de mel chega ao fim. Isto tudo porque o casamento foi à porta fechada e sem convidados e ninguém assistiu ao enlace.

 

 


publicado às 20:45


nós somos os bombos da festa

por beatriz j a, em 14.04.10

 

 

Educação  SOL
Professores voltam à rua se avaliação não for retirada de concurso a decorrer
Os professores vão voltar à rua, garantiu o secretário-geral da FENPROF, estrutura que ainda hoje vai lançar on-line um abaixo-assinado contra a inclusão da avaliação de desempenho nos concursos de docentes a decorrer.

Ai vamos? Estes da Fenprof falam em nome dos professores sem dar cavaco a ninguém. Ora assinam acordos, ora des-assinam. Nós aqui somos o bombo da festa, não? Depois vêm falar em unidade e dissidência. Unidade, gostávamos que a tivessem tido com os professores, dissidência gostávamos que a tivessem tido com a tutela na altura certa.

publicado às 20:38


isto irrita

por beatriz j a, em 12.04.10

 

 


FNE e Governo negoceiam aulas de português no estrangeiro e avaliação de professores

Entretanto, a FENPROF também um comunicado onde manifesta «o mais veemente protesto pelo desrespeito que o MNE revelou pelas regras de negociação».

 

 

Estes protestos da Fenprof irritam. Tiveram na mão a possibilidade da mudança positiva e deitaram-na para o lixo só para provarem que são importantes e agora protestam...  ...veementemente? Primeiro queixam-se da vida e que ninguém lhes liga. Damos-lhes força para crescerem e poderem mudar o rumo das coisas. E que fazem? Começam a achar que a sua importância é a coisa mais importante.

 


publicado às 09:40


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics