Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

Mário Centeno fala de sequência inédita de crescimento do rendimento per capita de mais de 4% desde 2015

 

Quando numa conta de dividir, diminuimos o divisor, o que resta não é necessariamente superior, apesar do dividendo não ter mudado? Se meio milhão de pessoas, num país com 10 milhões de pessoas como é o nosso, saiu daqui durante a crise (entre 2010 e 2015 - e nestes últimos anos mais umas dezenas de milhar saíram, de modo que o número, se calhar, ainda é maior), isto não quer dizer que o dinheiro que havia, sendo o mesmo, agora dividido por menos 500.000 pessoas terá de dar um resultado superior? Onde é que está o mérito de Centeno nesta situação? Fazer uma conta de dividir?

Se tivesse subido 10%... bem, isso seria digno de nota porque implicava um crescimento real do dividendo, agora, 4%... isso não se deve apenas a haver menos pessoas a comer do bolo? E depois, interessava era saber da distribuição do bolo, tendo em conta que as desigualdades sociais em Portugal não estão a diminuir mas a aumentar. Lá está... sou eu que devo ser muito estúpida porque não percebo estes anúncios bombásticos...

 

publicado às 08:43


Para onde vai o nosso dinheiro?

por beatriz j a, em 02.02.14

 

 

 

No que respeita a subvenções? Vão para organismos que beneficiam o público? Para instituições essenciais à sociedade que não têm meios próprios e onde os seus trabalhadores passam dificuldades? Naa.. vão para o futebol e para a Mota-Engil... e 19.5 milhões para duas escolas privadas... só estou à espera do dia em que subvencionem o 'Elefante Branco'... afinal, prestam um serviço a muita gente que se acha essencial...

 

Federação de Futebol e Mota-Engil no top 10 das subvenções estatais em 2012

 

A FPF recebeu 8,8 milhões de euros para o pagamento da dívida fiscal dos clubes de futebol ao abrigo do chamado Totonegócio. Este acordo prevê que as verbas atribuídas pelos jogos sociais aos clubes de futebol sejam transferidas para a federação até ao pagamento de dívidas fiscais. No caso da Mota-Engil, a subvenção de 8,142 milhões de euros é justificada com o pagamento de obras de interesse turístico relativo à construção do novo Museu dos Coches, em Lisboa.

 

A lista inclui duas entidades de ensino privado: a Associação de Jardins-Escola João de Deus e a Cooperativa Didaxis, no distrito de Braga, tiveram direito a 19,5 milhões de euros.

 

A IGF analisou também o grau de transparência dos beneficiários em relação às subvenções. A partir de uma amostra das 30 entidades que maiores valores receberam, concluiu que a maioria, 63%, não divulga de forma adequada, designadamente no relatório e contas, o benefício atribuído pelo Estado. Apenas 11 em 30 o fizeram.

 

 

publicado às 09:09


Este é o maior problema deste país

por beatriz j a, em 13.10.13

 

 

 

Banco de Portugal recusa informar Governo sobre salários dos colaboradores


O Banco de Portugal recusou enviar para o Executivo o formulário com os salários, suplementos e regalias pagos aos seus trabalhadores, considerando que as obrigações que constam na lei 59/2013, publicada em Agosto, não lhe são aplicáveis.


Os que têm poder, acham que o cargo serve para se escusarem às obrigações que, entretanto, impõem aos outros. Não sei se é legal recusarem a informação, mas de certeza que não é moral e, ficamos a pensar, 'porque é que estes senhores não querem dizer quanto ganham? Não são um organismo público? Têm alguma coisa a esconder? Como vão obrigar outros a tornar públicas as contas se eles próprios são os primeiros a querer escondê-las?'


publicado às 09:24


Todos sabem mas nada muda

por beatriz j a, em 19.06.13

 

 

 

 

Académico afirma que aumento de transparência orçamental gera desenvolvimento

Luanda - O vice-presidente da organização portuguesa Transparência e Integridade Cívica, Paulo Morais, defendeu hoje, em Luanda, a necessidade de os países praticarem a transparência orçamental ou das contas, para que haja desenvolvimento.
 
Segundo o entrevistado, que falava à imprensa, à margem da conferência sobre “A fuga de capitais e a política de desenvolvimento a favor dos mais pobres de Angola”, a falta de transparência ou a corrupção retiram sempre recursos financeiros afectos à Educação e à Saúde.
 
Paulo Morais, que também é professor universitário, argumentou que retirando recursos a esses sectores o desenvolvimento de qualquer país tarda em chegar.
 
Referiu que existe uma forte relação entre transparência e desenvolvimento ou entre corrupção e desenvolvimento e que “ sente-se sempre que tiram recursos para a educação e saúde que se está a desviar recursos do desenvolvimento”.
 
Por outro lado, Paulo Morais apontou, entre outros, o investimento estrangeiro e a facilitação da realização de negócios como factores que influenciam o desenvolvimento e a forte burocracia e a corrupção como sendo obstáculos ao desenvolvimento.

publicado às 05:18


Isto é que é justiça!

por beatriz j a, em 03.01.13

 

 

 

 

Dívidas acima de 3500 euros à Segurança Social passam a dar prisão

Um trabalhador independente que deva 3.500 euros vai parar à cadeia. Já os políticos, futebolistas e banqueiros que devem 500 mil euros, 10 milhões ou 700 milhões de euros recebem um cheque em branco do Estado tirado dos nossos salários. Isto é que é justiça e boa governação!

publicado às 06:02


Hummm....

por beatriz j a, em 20.06.11

 

 

 

 

Despesa do Estado regista a maior descida do ano em Maio

Défice da Administração Central e Segurança Social caiu 89% para 285 milhões de euros nos primeiros cinco meses do ano.
Isto é para acreditar ou é mais uma manigância de contas?

publicado às 14:48


Apesar de tudo

por beatriz j a, em 05.05.11

 

 

 

O FMI acaba por ser melhor que o PC IV, pela simples razão que, se o PEC IV tivesse passado, vinha o dinheiro lá de fora e era imediatamente escoado pelo ralo do BPN, pelas PPP, pelo TGV, Mota-Engil, Varas e amigos do Sócrates.... daqui a um ano lá estaríamos a aprovar um PEC V com o déficit ainda maior e as contas cada vez mais opacas. Assim, ao menos, as contas foram feitas, sabemos das malfeitorias que este governo fez  e algumas imoralidades poderão mesmo acabar. Talvez assim os sacríficos que nos pedem valham a pena e não se desperdicem em corrupção, tráfico de influências, enriquecimentos ilícitos, etc.

 

publicado às 19:18

 

 

 

 

 

Jan Gossart (Netherlandish, ca. 1478–1532)
Portrait of a Man (Jan Jacobsz. Snoeck?), ca. 1530
Oil on oak panel
National Gallery of Art, Washington

 

publicado às 22:50


a tão falada despesa com a educação

por beatriz j a, em 27.08.10

 

 

 

Tirado do blog do Umbigo  (http://educar.wordpress.com/)

 

 

(...)

Qual a primeira constatação? Analisando a evolução da despesa do sector da Educação entre 2005 e 2010  para os primeiros sete meses do ano, a mais óbvia conclusão é que 2009 foi ano de eleições e que, mesmo sem qualquer impacto da progressão dos docentes que na prática ainda estavam então congelados, a despesa aumentou mais de 10% em relação a 2008. Ora, com avaliação, progressões e todos esses desmandos, de 2009 para 2010, o aumento da despesa foi de apenas 7%

Não vamos estar a iludir a malta. O efeito eleitoral produziu mais aumento da despesa do que a progressão salarial dos docentes em função da sua avaliação e mudança de escalão de uns milhares.

 

(...)

 


publicado às 18:58


sugestão

por beatriz j a, em 27.11.09

 

 

 

Governo acusa oposição de tirar ao Estado 2300 milhões de eurosJN

 

"Para quem diz que não quer aumento de impostos e aumento do défice, tem a mais elementar responsabilidade de explicar como acomodar um desequilíbrio de 2300 milhões de euros. A deriva despesista da oposição tem uma lógica de competitividade entre as suas diferentes forças políticas e arrasta para um populismo sem sentido, sem explicação e sem desculpa", declarou o membro do executivo, numa lógica de intervenção que seria depois seguida pelo líder parlamentar do PS, Francisco Assis.

 

Sugestão ao ministro das Finanças: vai ter com os amigos do primeiro ministro, como por exemplo, o sucateiro, o filho do sucateiro, o Vara, o Loureiro, O Coelhone, o Oliveira do BPN, etc.

Entre todos,  de certeza que se arranja muito mais que 2 biliões e meio para pagar as contas provocadas pelos 'excessivos lucros' desse mesmo pessoal.


 

 

publicado às 19:58


2x2=1

por beatriz j a, em 21.07.09

 

 

 

 

 

A ministra incompetente

como não tem resposta

manda recado ao parlamento

que não pode ir - está indisposta...

 

Corre por aí um rumor

que recorreu ao pim PAM pum

para arranjar explicador

que a ensinasse a contar - 2x2=1

 

Dois meses até Setembro

ainda dá muito despautério

muita m..... sem remendo

ainda sairá daquele ministério.

 

 

 

publicado às 19:13


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics