Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Pior cego é o que pensa que vê

por beatriz j a, em 21.11.17

 

Os professores, de antes e de agora… e os outros

 

Os Liceus de antigamente tinham alunos da classe média e daí para cima. Raros eram os alunos de famílias de operários ou camponeses que aí chegavam. Era preciso que tivessem talentos extraordinários. Nessa altura era mais fácil ser professor e as escolas públicas, chamadas Liceus, estavam em tudo à frente dos colégios particulares. Aliás, quem andava no colégio tinha que ir fazer aos Liceus públicos os exames pois só os Liceus públicos eram considerados capazes de avaliar como deve ser e só eles certificavam. Os colégios privados serviam para enfiar os filhos menos capazes intelectualmente, para se safarem e para as raparigas terem uma educação cartólica conservadora e não andarem misturadas. Depois do 25 de Abril, toda a gente passou a ir para os Liceus que já não se chamavam Liceus justamente por estarem conotados com famílias com mais dinheiro, logo, fascistas, pois nesse tempo até a Amália era fascista. Tudo se complicou: turmas gigantescas, tudo ao molho, o filho do ministro com o filho do cigano que nem ler sabia e andava cheio de piolhos... quem tinha dinheiro correu a tirar os filhos da escola pública e a pô-los nos colégios particulares, sobretudo por não quererem que os filhos se misturassem com 'a ralé'. É claro que rapidamente a escola pública começou a ter problemas e a degradar-se porque ensinar filhos de famílias pobres que nunca leram um livro, ignorantes e limitadas, é muito diferente e requer outros recursos, que ensinar filhos de famílias com dinheiro, educadas e com possibilidades variadas.

No ensino superior, as universidades públicas, em geral, porque há excepções, ainda estão à frente das outras privadas porque os alunos que lá chegam, são os alunos que correspondem aos dos Liceus de antigamente, uma vez que os filhos dos pobres nunca lá chegam. Ficam-se pelo 9º ano ou pelo 12º incompleto. Mas isso está a mudar com o ensino obrigatório até ao 12º ano. Levará tempo, como levou na escola pública, mas com a incompetência que grassa nas universidades que se tornaram agências públicas de cunhas e de ignorâncias várias promovidas a professores que exploraram jovens que têm mais coisas publicadas num ano que eles em toda a vida, lá chegarão onde as escolas públicas já estão. Já se começa a ver no empobrecimento e proletarização dos jovens aspirantes a professores universitários e nos esquemas e manigâncias de cedência vergonhosa de qualidade que fazem para atrair alunos. É claro que cursos cuja entrada depende dos alunos terem tido acesso a certos benefícios de quem tem dinheiro hão-se resistir mais tempo mas, lá chegarão, não se preocupem. 

O ensino universitário e as universidades, no mundo inteiro, estão em grande decadência por causa da promiscuidade com o dinheiro. Cá é igual... e os indivíduos que estando lá dentro não vêem isso, têm uma venda nos olhos ou algo mais grave acima dos olhos. Se tivessem dois dedos de testa lutavam para a escola pública ser melhor e não para a enterrar. Mas neste país a quantidade de gente que só repete o que ouve e não tem uma ideia própria acerca de coisa alguma e mesmo assim se acha superior aos demais, é mato...

 

Tags:

publicado às 18:47


Os cegos que nos governam

por beatriz j a, em 23.12.13

 

 

 

Emídio Guerreiro rejeita que jovens estejam descrentes

O secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, assumiu hoje a preocupação no desemprego jovem, mas rejeitou que haja o sentido de descrença no futuro do país.

 

Na última semana, um estudo internacional encomendado pela seguradora Zurich, dava conta de que 57 por cento dos jovens portugueses entre os 15 e os 24 anos pretendia emigrar em busca de emprego.

 

"Eu não vejo isto como uma questão de descrença no país, acho que é uma resposta às dificuldades que o país passou, com o acumular de muitos anos com um modelo económico que, mais tarde ou mais cedo, tinha de devolver a fatura", referiu.

 

Duzentos mil emigram, por ano e, outros tantos querem sair daqui para fora mas o secretário não vê nisso um sianl de descrença no país... e diz que é da crise... esquece-se que os outros países (excepto a Alemanha e a Finlândia) também estão em crise e, no entanto, é para lá que os portugueses fogem... ...quando os governantes não querem assumir o falhanço das suas políticas subservientes aos economistas da moda dá nisto: uma cegueira voluntária à borda do precipício.

 

 

publicado às 10:30


Sócrates e o amigo

por beatriz j a, em 21.02.09

 

 

 

Porque é que Sócrates quer o 'querido' cá a assistir ao seu triunfo?

 

 

Porque razão foi Sócrates reeleito, quase por unanimidade? sol.sapo.pt/PaginaInicial/Politica/Interior.aspx Nem o Alegre, que andou para aí a fingir que era contra o estado de opacidade do governo e do país deu um ar de sua graça (o Alegre não é um dos que foi buscar uma reforma a uma empresa onde apareceu como administrador durante dois anos?) 

Depois de todos os factos que têm vindo a público (apesar das tentavias de censura) acerca de compadrios, roubos de dinheiro, mentiras, testemunhos falsos e associações criminosas dos que governam não há uma única pessoa que se oponha ao 'querido'  do Chavez?

Se não há, isso significa que estão de acordo com o rumo que ele tem dado ao país? São apreciadores, ou, pelo menos, coniventes, com uma governação que empobreceu o país, deu a mão a corruptos e malfeitores, perseguiu gente de bem, destruiu o tecido social, manchou a credibilidade e a memória do país e dos portugueses. Ora, isto não é um comportamento anti-patriota? Que trabalha contra os interesses da pátria?

O partido pseudo-socialista está completamente cego?

 

É pior o cego que vai à frente a indicar o caminho ou todos os outros que o escolheram como guia? O cego é só cego e irresponsável, por se oferecer para guia sabendo que não pode ver o caminho. Mas os outros, que o escolheram, ou são também cegos, ou são estúpidos, ou malfeitores. Em qualquer dos casos, seremos governados, ou por cegos irresponsáveis, ou por estúpidos, ou por malfeitores - ou ainda, por cegos estúpidos; ou estúpidos malfeitores... todas as combinações são possíveis dentro dos limites desta cegueira estúpida.

Como se chamarão, doravante, os militantes, simpatizantes e apoiantes do partido pseudo-socialista?

 

 

publicado às 09:08


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics