Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Lírico

por beatriz j a, em 14.01.19

 

A R M A N O

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:32


Falsas dicotomias na arte

por beatriz j a, em 20.05.18

 

 

A arte figurativa está a conhecer um novo ímpeto, o que não é nada de mal. Houve uma altura em que a arte figurativa era desprezada como coisa menor. No entanto, parece que nestas questões, como em outras, as pessoas aderem a falsas dicotomias e à conta disso a arte abstracta está sob ataque, como se não pudessem conviver ambas.

As pessoas têm sempre tendência a achar estúpido ou ridículo o que não entendem. Uma peça de arte pode não dizer-nos nada, nesse momento, ou sempre, e daí não se segue que não tenha valor. O facto de não fazer sentido para nós não nos diz nada sobre o objecto e o seu valor mas apenas sobre nós próprios e o nosso gosto.

A arte comunica e se não sentimos ou percebemos o que diz, se calhar é porque nos falta o código referencial adequado para a compreender. Nem tudo se gosta à primeira. Se assim fosse não se podia educar o gosto. O gosto é uma questão difícil mas se não temos razões para depreciar uma obra e nos socorremos apenas da emoção imediata, do 'gosto ou não gosto' mais valia calar a opinião e tentar compreender antes de julgar.

Quem lidera este movimento contra a arte abstracta são os fundadores da www.artrenewal.orgque começou por ser um site defensor e agregador de arte figurativa realista online -lembro-me do seu início- e cresceu ao ponto de apoiar artistas, condecer prémios, bolsas, fazer palestras no Met (Metropolitan Museum of Art), etc. A certa altura, para além de defender o revivalismo da arte figurativa, começou a atacar a arte abstracta. Com muito sucesso, diga-se de passagem.

E dizer que a culpa é do mercado de arte que paga preços ridículos por tudo e mais alguma coisa não colhe porque tanto paga pela arte abstracta como por arte figurativa, e há muita arte figurativa desinteressante.

A questão é: porque há-de comparar-se o que não é comparável? Porque se compara um Rembrandt a um Picasso? São pontos de vista diferentes com objectivos diferentes e uma linguagem diferente.

 

Abstract Art Is Not Art and Definitely Not Abstract

 

Ridiculous Pieces Of Art That Sold For Millions Of Dollars Part 1/2

 

  

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00


no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



edicoespqp.blogs.sapo.pt-Google pagerank,alexa rank,Competitor