Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Pois... e vê lá no que isso deu...

por beatriz j a, em 15.02.19

 

A minha geração, que é considerada a mais bem preparada de sempre, não pôs os olhos num exame nacional até ao 12.o ano. Os meus amigos um pouco mais velhos, nem isso.

Os exames são o único obstáculo a esta escola inclusiva? Dificilmente. Não são deus nem o diabo do sistema educativo, são apenas um instrumento desadequado nas atuais circunstâncias. Provocam estreitamento curricular, uniformizam o ensino, são um retrato pobre de uma educação que serve para mais do que aprender a ler e a contar.

 

De facto, neste ensino, não servem para nada:

A caricatura não é tão exagerada quanto parece. Por exemplo, aqui há duas semanas ou isso apareceu uma notícia alfaiate com título enganador, segundo o qual Nunca o abandono escolar foi tão baixo e  de 12,6% em 2017, Portugal conseguiu reduzir para 11,8% a taxa de abandono precoce da educação e formação, um valor nunca antes alcançado. No entanto, quem está nas escolas sabe que no 7º ano houve um projecto de ninguém chumbar mesmo com negativa a todas as disciplinas, 50% de faltas e até permissividade para ter 3 faltas disciplinares... ou o outro caso da directora de uma escola aqui perto da cidade que a todos os professores, pelo menos de Matemática, não sei se outras disciplinas também, que dêm mais de 10% de negativas têm logo as aulas assistidas para pressionar a passar toda a gente. E muitos outros casos do género. Isto não é um ensino inclusivo, isto é um logro que pagaremos caro, enquanto país.

 

O diretor da OCDE para a Educação, Andreas Schleicher, já identificou o sistema de exames nacionais ligado ao acesso ao ensino superior como um dos “principais problemas” do sistema educativo português. E alertou para a dificuldade de conciliar “dois mundos”, o do ensino para os exames e o outro, que privilegia a aprendizagem em torno de projetos e o trabalho colaborativo.

 

Ahh, pronto... se o director da OCDE disse isto temos que ir já fazer o que ele diz porque ele tem a Verdade sobre a educação... 

Começa logo por falar no ensino que inclui exames e no do trabalho colaborativo como se fossem dois mundos diferentes e difíceis de conciliar quando sempre fizeram parte do mesmo mundo e todos os dias o conciliamos, enquando atravessamos as reformas mais ou menos imbecis das equipas ministeriais que se sucedem umas às outras bem como os directores da OCDE que se sucedem uns aos outros e até as comentadoras que não percebem nada de educação mas não se privam de dar palpites como se fossem especialistas.

 

publicado às 13:45


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics