Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

 

França vai avançar no outono com propostas concretas sobre Governo, Orçamento e Parlamento da zona euro. Espanha integrará a “vanguarda” do euro. Hollande também quer Espanha na “vanguarda”

 

Na segunda-feira passada Putin deu uma entrevista à RTS suíça (no vídeo abaixo). Como sempre, os jornais, que só vêem bola, só se interessaram por uma frase que ele disse sobre Blatter para chatear os EUA. O que é pena.

 

Em primeiro lugar ele sente-se numa posição de superioridade relativamente há um ano ou dois e, em grande parte, isso deve-se à crise que divide a Europa e que está a fazer mover, nas suas palavras, placas tectónicas nacionalistas.

A Europa, em vez de unir-se contra o avanço do EI e para resolver o problema da migração em massa dos que fogem à guerra (que ele faz questão de dizer, com razão, que é um problema que os EUA criaram e quem está pagar por ele são os europeus) está entretida numa luta de poder interno. Em vez de reduzir os nacionalismos acicata-os para tirar dividendos de poder. A Inglaterra já está com um pé de fora... e o Hollande a tentar estilhaçar o que já está fraco mas ainda não quebrado.

Putin sorri porque quanto mais a Europa enfraquece, interna e externamente, mais ele se fortalece, interna e externamente. A imprudência da Merkele ter dito que ele estava maluco é outra coisa que não se percebe. A arrogância com que tratam tudo e todos, mesmo os que são perigosos faz pensar em quem é que é louco...

 

Desde que os EUA abandonaram, unilateralmente, o acordo anti-mísseis balísticos para prosseguirem interesses próprios, abriram mão do equilibrio de forças que existia e, isso deu-lhe a ele legitimidade para também lutar pelos seus... é assim que ele vê a relação de forças e é evidente que se pensa numa posição moral superior nesse aspecto.

 

Hilary Clinton disse há pouco, a propósito do acordo dos EUA com o Irão que os EUA não confiam no Irão. A questão que ela não parece ver é que grande parte do mundo não confia nos EUA.

Os EUA são uma democracia para dentro mas não para fora. Têm tido um papel devastador, com poucos interregnos, no mundo: instabilizaram durante décadas a América Latina, depois os Estados do Médio Oriente com petróleo, fomentaram golpes de Estado, guerras... nos anos do Bush praticaram o rapto, o assassinato indiscriminado, a prisão indiscriminada e arbitrária, a tortura... e agora, Obama quer recuperar o papel de justiceiro moral do mundo passando uma esponja por cima de tudo o que foi feito. Os EUA passeiam-se pelo mundo a mandar prender pessoas como se o mundo fosse seu.

 

Putin vê-se como um defensor do resto do mundo contra a desmesurada força e falta de ética americanas dos últimos 50 anos ou assim. Obama, a NATO e Merkele falharam redondamente na abordagem dos problemas a Leste e isso custou à Ucrânia, a Crimeia e uma guerra civil.

 

Putin tem feito demonstrações de força militar na Europa (russia-s-putin-takes-swipe-at-u-s-in-victory-day) , tem violado o espaço dos países fronteiriços, que é uma maneira muito clara de dizer que, se a Europa quer estar completamente dependente dos EUA, que esteja, mas eles não estão dispostos a ser uma alínea nos interesses americanos. [Putin lamenta falta de «independência» da Europa face a Washington]

 

A Europa está numa encruzilhada perigosa e em risco de se ver numa situação da qual pode não conseguir, nem desembaraçar-se nem defender-se, interna ou externamente. E parece que os franceses e os alemães estão cegos a tudo que não seja o poder do seu directório.

 

 

 

 

publicado às 20:12


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics