Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Dia deprimente

por beatriz j a, em 07.01.19

 

Hoje ia-me chateando com uma aluna do 11º ano. Tínhamos deixado combinado no 1º período, fazer um teste logo no início deste porque há um tema que acabámos de trabalhar no final do período. Estava a decidir com a turma se faziam o teste na próxima aula ou para a semana e eles propuseram para a próxima segunda-feira para ainda terem uma aula para tirar dúvidas e o resto da semana para rever a matéria. Disse que sim, parece-me razoável. Nisto diz uma miúda, 'ah não marque para segunda-feira que eu faço anos'. ???  O que é que isso tem a ver com o teste? Interrompe-me a aula para dizer isto? Desde quando isso é uma justificação razoável para mudar um plano de aulas ou uma data de teste, perguntei. 'Ah, é que quero comemorar  e não quero trabalhar nesse dia'. Epah... ia-me chateando... mas que abuso... disse-lhe, 'olhe, o mundo não pára e certamente o trabalho de todos não vai atrasar-se de cada vez que faz anos, o que alías acontece uma vez por ano enquanto estiver viva. Acontece-nos a todos, é uma rotina e não se pára o trabalho de cada vez que alguém faz anos o que é quase todos os dias'.

 

Ah, diz ela, mas é que estivémos de férias e eu ainda não estudei. ... 'Quer dizer, não estudou e tem o descaramento de dizer isso na minha cara?' - Por acaso a professora trabalhou nas férias? 'Claro que trabalhei ou pensa que os testes apareceram feitos sozinhos e as aulas se prepararam sozinhas? Olhe, quem quer aprender estuda quando é preciso e quem quer ir para a faculdade é bom que saiba que tem muitas vezes exames em Janeiro passa o Natal a estudar' -Ah, é?, diz ela, que horror.

Não há pachorra. 

Há um mito que diz que todos os alunos gostam de aprender e que se não gostam a culpa será dos professores ou educadores mas qualquer professor sabe que isso não é verdade. Todos os alunos gostam de aprender algo mas não tudo. Por exemplo, podem gostar de aprender sobre desporto ou sobre moda e unhas de gel ou sobre 'animés' mas não ligam o mínimo interesse e é com esforço que aprendem sobre os problemas da epistemologia, da lógica ou outra coisa qualquer que implique esforço mental continuado. Não estão habituados. Até podem perceber, e geralmente percebem, o interesse e a importância de estudar as disciplinas ou os temas não não têm interesse pelos temas em si enquanto matéria de estudo. Na aula conseguimos interessá-los mas depois estudar em casa... a maioria não quer e não faz. Têm imensos interesses alternativos que não implicam esforço e têm muitas distracções. Só obrigados pelos pais, ao contrário do que dizem os ministros e secretários de Estado e pedagogos que não trabalham com adolescentes. A maioria dos alunos, se pudesse não estudar e passar sem ter que investir vontade, esforço e trabalho, estudavam zero.

 

publicado às 19:04


3 comentários

Imagem de perfil

De Tudo Mesmo a 07.01.2019 às 19:13

Totalmente de acordo. Aliás, vou ser "mázinha" e dizer que se o tivessem que fazer sem internet, sem meios informáticos, calculadoras, e fossem "devorar" livros na biblioteca, então não sei qual seria a reacção. Podem dizer que é voltar no tempo. Não é! E, não estou a falar de há muito tempo atrás.
Imagem de perfil

De beatriz j a a 07.01.2019 às 19:35

São grandes conversas acerca de responsabilidade mas depois ninguém a exige.
Sem imagem de perfil

De a a 26.01.2019 às 22:03

a

Comentar post



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics