Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Ignorantões

por beatriz j a, em 29.01.09

 

 

O primeiro ignorantão é o PGR, para quem o caso Freeport, «está na moda, mas é um caso como tantos outros». Pois está claro! Um caso que lança suspeitas de corrupção sobre o primeiro ministro e, duma assentada, envolve em suspeita todas as suas decisões políticas, um caso que lança a suspeita sobre a credibilidade do país, que é mesmo o que estamos a precisar neste contexto de crise, para ganhar a confiança de investidores nacionais e internacionais, é claro que é a mesma coisa que o caso dos três estarolas que, ao serviço da Capital, andavam a almoçar pataniscas a 500 euros a dose enquanto pensavam em como evitar os bairros sociais.

Claro que é o mesmo!

O PGR diz ainda, para acabar em beleza, que é preciso esperar com serenidade. Esperar? O povo continuar a obedecer às ordens dum indíviduo de quem se suspeita ser criminoso? Aceitar ser delapidado? E isto, quietamente e com serenidade?

O PGR também não vê razão para se levantar o sigílio bancário pois «Não podemos andar a espiolhar contas sem um motivo sério» ?!?!!!! Então isto não é um motivo sério? Então o que é que é um motivo sério?

Mas quem é este PGR? Quem é este indivíduo maledo?

 

A outra é uma ignorantona, uma Patrícia Jesus, que escreve um artigo no DN intitulado, Quem tem medo da avaliação são os maus professores: dn.sapo.pt/2009/01/28/sociedade/quem_medo_avaliacao_os_maus_professo.html

O artigo consiste numa entrevistas a miúdos de vinte e poucos anos que, ou acabaram de sair das faculdades, ou ainda lá estão. Como se lê na entrevista já perceberam o mal da educação e os problemas do ensino e das escolas e, claro está, chegaram à conclusão que o problema são os professores, nomeadamente os mais velhos, porque, se dessem lugar aos mais novos, como eles, tudo se resolveria, pois eles não vão querer saber de direitos, de horas de trabalho, de férias, etc - só querem é ter um emprego.

É bestial! É claro que pessoas que «só querem ter um emprego» são mesmo as mais apropriadas para qualquer trabalho. Suponho que a ignorantona que conduz estas pseudo-entrevistas tenha abdicado das suas férias, dos seus direitos de trabalhadora, do horário de trabalho e, até, do seu tempo de descanso semanal!?

Esta entrevista é o projecto da Ministra da Educação para as escolas. Substituir os professores mais velhos que não abdicam de ser tratados como seres humanos nem compactuam com quem quer sub-humanizar o povo. Substituí-los por miúdos formados em cursos generalistas, tipo pasta à bolonhesa, onde se aprende a dizer uma coisas superficiais, mas  nada que possa levar à oposição do poder. 

Saberá esta ignorantona que o direito à dignidade, o direito ao descanso e o direito ao lazer estão expressos na Declaração dos Direitos Universais do Homem? Compreende ela que esses direitos circunscrevem a nossa humanidade? Que o não respeito desses direitos equivale a diminuir a pessoa na sua humanidade? A tratá-la, como sub-humana? Abaixo dos outros que merecem um tratamento de seres humanos? Mas esta jornalista ignorantona está a defender que os futuros professores devam abdicar da sua humanidade e aceitar ser tratados como sub-humanos? Saberá que os que têm essa iniciativa, de degradar os seus semelhantes a sub-humanos, são os ditadores, cujo caso extremo é o Hitler?

Saberá esta ignorantona dos sacrifícios que foram feitos para acabar com o trabalho de sol a sol? Saberá das lutas dos movimentos sindicais,e não só, para conseguir o horário de oito horas diárias, para conseguir o direito às férias, para conseguir, enfim, que os trabalhadores fossem visto como seres dignos com direitos próprios?

Deixo aqui uma amostra à laia de exemplo. Um documento que uns alunos do 12º ano incluiram num trabalho sobre a História da Psicologia do Desenvolvimento.

 

Depoimento de um administrador de uma fábrica para uma comissão parlamentar em1832:


"P: A que horas da manhã, com tempo bom, essas moças chegam à fábrica?
R: Com tempo bom, durante cerca de seis semanas, chegam às três da manhã e saem às dez ou dez e meia da noite.
P: Que intervalos existem durante essas dezenove horas de trabalho para alimentação e descanso?
R: Quinze minutos, respectivamente para o almoço, lanche e jantar.
P: Alguns desses intervalos é utilizado para a limpeza de máquinas?
R: Quase sempre as moças são obrigadas a fazer o que chamam de "pausa seca", às vezes a limpeza toma todo o intervalo do almoço ou do lanche.
P: Não há dificuldades para acordar essas jovens depois de um trabalho exaustivo como esse?
R: Há sim; de madrugada é preciso sacudí-las para que acordem.
P: Tem havido acidentes com elas em conseqüência desse trabalho?
R: Sim, minha filha mais velha esmagou o dedo na engrenagem.
P: Perdeu o dedo?
R: Teve de ser cortado na segunda falange.
P: Ela recebeu pagamento durante o acidente?
R: No dia em que aconteceu o acidente, o pagamento foi suspenso."
(HEILBRONER, H. A formação da Sociedade Econômica. Rio de Janeiro : Zahar, 1974. pp. 108-109.)

 

crianças mineiras, 1908, EUA

 

Há cem anos as coisas eram assim, e muita gente deu a vida para que sua excelência possa andar a fazer entrevistas ignorantonas!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:48


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.02.2009 às 21:36

Julgo que o PGR ter-se-á, eventualmente, enganado, e o que ele quereria dizer seria:" quem está no caso Freeport é quem está na moda, à moda... e é alguém que não usa um fato como tantos outros..."

Mas, de facto ter-se-á enganado...



Maria Cecília

Comentar post



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog