Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





praxes?

por beatriz j a, em 04.07.09

 

 

 

Correio da Manhã

28 Junho 2009 - 00h30

Inédito: Instituto Piaget obrigado a indemnizar ex-aluna

Praxe violenta custa 38 mil euros

 

O Instituto Piaget de Macedo de Cavaleiros vai ter de pagar 38 mil euros a Ana Sofia Damião, a aluna sujeita às violências da praxe no ano lectivo de 2002/2003, revelou ontem o Movimento Anti-Tradição Académica (MATA)

 

"Foi a primeira vez que um tribunal reconheceu as responsabilidades objectivas da direcção de uma universidade" relativamente às praxes violentas, referem os responsáveis do MATA.

Para os estudantes antipraxe, esta decisão "obriga a uma reflexão na escola, na comunidade estudantil e na sociedade", pois "a impunidade já não é uma realidade". 

Ana Sofia Damião foi forçada a simular orgasmos e relações sexuais com colegas e a insultar os pais.

 

 

Até que enfim que a justiça responsabiliza e pune alguém pelas praxes académicas violentas que se tornaram um hábito patológico em muitas universidades, institutos, e politécnicos.

Não se percebia que as direcções das instituições não assumissem nenhuma posição para além de dizerem que lamentam e tal...e que todo o assunto fosse encarado com uma leveza como se fossem apenas brincadeiras.

É incompreensível que um aluno, ou aluna, depois de muito batalhar para entrar para a universidade, chegue lá e corra o risco de ser violentada, humilhada, ferida, incapacitada ou até morta, em praxes violentas e humilhantes conduzidas por delinquentes, violentos e tarados sexuais que se aproveitam duma situação temporária de poder para dar vazão às suas frustraçõeszinhas sexuais e outras?

É incompreensível que um aluno tenha medo de entrar na universidade ou que passe uma experiência tão humilhante ou traumatizante que lhe estrague toda a vida e experiência universitárias.

É incompreensível a bonomia com que estas praxes são encaradas pelos responsáveis.

Afinal, que tipo de pessoas batem nos colegas, obrigam os colegas a humilharem-se, a despirem-se, a simular actos sexuais e insultar os pais como divertimento?

Assusta até pensar que essa gente tira cursos e depois vai trabalhar, quem sabe, até podem ir parar a cargos de poder público! Pessoas com tendências para abusar dos outros, humilhá-los etc.! Sim, porque os alunos que conduzem essas praxes não são adolescentes, não têm dezasseis ou dezoito anos. Têm vinte e tal anos, são adultos; jovens, é certo, mas adultos, com a personalidade já formada.

E, pior ainda, quem são os adultos responsáveis por essas instituições que entendem tudo como uma brincadeira?

A atitude das pessoas face a estas coisas diz muito sobre elas...

Um amigo dizia-me há tempos que na faculdade muitos professores, quando não estavam raparigas alunas presentes conversavam com os alunos rapazes sobre as raparigas de um modo que ele achava chocante. Por exemplo, eram capazes de voltar-se para um deles e dizer, acerca duma aluna colega num grupo de trabalho: 'se estivesse no teu lugar já tinha montado a gaja que é muito boa'.

Calculo que sejam estas as pessoas que depois acham piada a que alunos ordinários humilhem as colegas nas praxes. Quem sabe se não o fizeram também.....

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:29



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics