Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





A banda larga e a bicicleta

por beatriz j a, em 21.04.09

 

 

 

O primeiro ministro está na RTP 1 a dizer que investiu na banda larga, e reduz a questão da educação à banda larga. Que atraso de vida! E a dizer que garante que há-de haver trânsito na auto-estrada do centro porque ele a construiu- que por causa dele podemos ir até à Covilhã de auto-estrada.Que atraso de vida! Então é isto o progresso do país?

"Cada um tem de puxar a sua bicicleta, que ninguém vai puxar a bicicleta do outro" - então o tipo tem o descaramento de dizer publicamente que está ali para puxar a sua bicicleta e que não faz nada pela dos outros? Nada pelo país? E é isto que nos governa...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:09


6 comentários

Sem imagem de perfil

De maria cecilia a 21.04.2009 às 21:50

ele diz que cada um tem de puxar a sua biciclete e, é por isso que ele agora não pode sair do poder, pois, se saisse quem puxaria a sua biciclete? E ele diz, também, que ninguém vai puxar a biciclete do outro; como ele jura dizer o que é verdade eu julgo que ele, na verdade, está dizer o que pensa e que por isso não pode abandonar o poder.
Sem imagem de perfil

De mariacecilia a 21.04.2009 às 21:55

há um velho filme italiano: "Ladrões de bicicletas"!
Sem imagem de perfil

De Luis Contumélias a 25.04.2009 às 09:44

Olá! Beatriz.
Já estou mais perto...
Mas, nem sequer fui em busca da arca da aliança.
A demanda foi outra.
E então lá vai:
Se o Zezé diz que: "Cada um puxará a sua bicicleta" como
vamos chegar à Covilhã, por auto-estrada, se a dita
tem o trânsito interdito a velocípedes?
Bom fim-de-semana e comemore, se tiver motivo para isso.
Imagem de perfil

De beatriz j a a 25.04.2009 às 16:58

Olá! Seja bem aparecido.
Uma demanda sem prémio? Isso é frustrante.
Não sei bem se o dia de hoje é para comemorar o que foi feito ou se para lamentar a rapidez com que foi desfeito...
Sem imagem de perfil

De Luis Contumélias a 27.04.2009 às 17:47

Claro! É frustrante.
O título, se tivesse, seria sem grande inspiração:
Em Busca Da Vida Perdida.
De tão empenhado que estive em sobreviver
que me esqueci de viver realmente.

Se tudo foi rápido demais?
Dizia-se na época:
Viva a liberdade
25 de Abril sempre
Viva a revolução
O povo é quem mais ordena

Comentava-se:
Vamos lá a ver se agora fazem as coisas como deve ser
que a gente estaremos cá para ver.
Sim, "que a nossa política é o trabalho
trabalhinho, porreirinho da silva
nada será como antes "
"Podia ser tão bom, não é?"

E assim foi!
Imagem de perfil

De beatriz j a a 27.04.2009 às 20:47

Isso de se passar ao lado da vida por causa da necessidade de sobreviver é verdadeiramente dramático.
Quanto ao resto, para que as revoluções não pervertessem o seu sentido de origem era preciso uma revolução no próprio ser humano... a tentação do poder é arrasadora como um bulldozer.

Comentar post



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics