Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]





os não factos

por beatriz j a, em 31.05.10

 

 

Sintra

Inquérito a Escola de Fitares conclui que "não há factos que justifiquem procedimentos disciplinares" mas faz recomendações P

O indivíduo ter-se suicidado dizendo que não aguentava a pressão do ambiente (indisciplina dos alunos com a -implícita- cumplicidade da direcção da escola), não foi considerado um facto relevante. As queixas, participações, empurrões e outros factos terão, portanto, sido considerados não-factos. Esta semana um professor dessa escola foi suspenso porque uma aluna o acusou de assédio sexual. Os colegas do professor dizem que é uma vingança por ele ter levado avante uma queixa contra alunos apesar da direcção se opôr e estar sempre contra os professores e a favor dos alunos (os tais que são malcriados, empurram, etc.?). O inquérito diz que devem todas as queixas ter sempre seguimento. Pelo que se sabe nunca têm. Mas isso deve ser um não-facto. Diz que a direcção deve manter o bom ambiente. O ambiente é péssimo. Mas deve ser outro não facto...

Vendo bem, vendo bem, aquela escola deve ser alucinante: uma escola onde os factos não são factos, será uma escola de não-alunos com não-professores a dar não-aulas?

Compreende-se a moda: afinal, temos uma não-ministra, a fazer um não-trabalho, num ministério de não-educação, de um não-governo.

 

publicado às 20:02


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics