Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





25 de Novembro sempre!

por beatriz j a, em 25.11.16

 

 

Não fosse o Jaime Neves em Lisboa e o Ramalho Eanes em Évora e tínhamos tido aqui um muro de Berlim ou um Paralelo 38, à portuguesa, a separar o Sul do Norte. No Sul houve sangue, não foi a brincar. Houve perseguições, vinganças e outras coisas dessas comuns nas revoluções que são tempos em que o melhor e o pior vem ao de cima.

 

Por essa altura o Otelo achava-se o Kadafi do rectângulo e passeava-se por aí à patrão com os seus COPCONs a distribuir mandatos de prisão em branco para eles porem o nome que lhes apetecesse: ora toma lá um mandato em branco e vai prender alguém de quem não gostes ou de quem queiras alguma coisa. O Cunhal não queria acreditar que o povo não o amava depois de tantos anos a lutar e fazia de tudo para ser poder, independentemente da vontade do povo que foi coisa que nunca lhe interessou. Interessavam-lhe ideias e não pessoas.

 

O PREC foi o completo oposto de Democracia.

 

Eu vivi os dois: o PREC vivi-o no Alentejo até meio de Julho de 75 quando de lá saí (eu, os pais, a avó e dois irmãos mais novos, ele com oito anos, ela com cinco, depois de meses -desde 11 de Março- de prisões, ameaças, intimidações, etc) com as metralhadoras do COPCON apontadas às costas, perto da uma da manhã, depois de um dia presos e guardados à vista e de um julgamento popular que durou desde as sete e meia da tarde à meia-noite e meia do dia seguinte (anda aí um vídeo no youtube com um julgamento popular em Tomar com o título, 'Único Julgamento Popular em Portugal' mas é mentira: houve outros só que não se passaram em tribunais), organizado pelo partido comunista com os COPCONS do Otelo. Tenho isso tudo escrito há muito tempo.

 

No 25 de Novembro estava em Lisboa a estudar no Liceu D. João de Castro. Assim que tivémos notícias do Jaime Neves com os comandos na Ajuda (a escola fechou), fomos (eu e uma irmã) à corrida até à Ajuda ver o fim desse desvario que foi o PREC, que quase nos levou a uma guerra civil, por vontade do senhor Otelo e do senhor Cunhal.

 

 

dia 12 de Março, dia a seguir ao início do PREC de 75 começaram logo a matar pessoas.

 

 

12 Novembro 75, quando o Cunhal instigava o caos para chegar à ditadura comunista, isto nos intervalos de ir a correr à Rússia pedir instruções ao grande líder enquanto lá deixava os documentos da História portuguesa: registos da PIDE, etc.

 

 

25 de Novembro pelos próprios

 

 

 Os que estiveram na Ajuda

 

 

publicado às 17:11


2 comentários

Sem imagem de perfil

De nuno a 26.11.2016 às 15:39

Foram tempos com muita austeridade, muito suor, sofrimento em que o povo passou necessidade, fome, muitas doenças, e ainda hoje é assim. Existem patrões que abusam dos funcionários hoje em dia, mas hoje em dia, o povo mete-se em muitas coisas ao mesmo tempo, sem as poder pagar. E sabe-se isso quando se pede financiamento para uma viatura em 3 ou 4 financeiras e eles recusam sempre o financiamento, tenham os clientes um rendimento de 50 mil euros por ano ou não.
Imagem de perfil

De beatriz j a a 26.11.2016 às 16:03

Não gosto de revoluções. Prefiro reformas e pessoas atentas e interventivas, não apenas de palavras mas de actos. Mas como dizia o Barreto ontem num artigo de um jornal, anda tudo acobardado.

Comentar post



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics