Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Eutanásia não é zootanásia

por beatriz j a, em 28.03.14

 

 

 

 

A photo of two lionesses at the Copenhagen Zoo.

Two lionesses are seen at the Copenhagen Zoo on March 26, not long after four other lions were put to death. Photo by JENS DRESLING

 

 

Um artigo na NG diz que as execuções do zoo da Dinamarca não constituiram uma eutanásia, isto é, uma morte piedosa de um animal doente, em sofrimento, velho ou doente, mas foram antes, 'zootanásias', ou seja, execuções de animais perfeitamente saudáveis, apenas pelo facto de não servirem os interesses do Zoo, no que respeita à reprodução em cativeiro. E é verdade.

 

O que choca nestas execuções é o facto de se tratarem os animais como coisas, objectos, que se descartam, à bala, quando já não servem interesses pessoais. A morte da pequena girafa, com um tiro na cabeça e posterior esquartejamento para atirar a carne aos leões (não sei porque lhe chamaram autópsia...) em frente 'of a live audience', crianças incluídas, como se fosse um espectáculo de entretenimento, é chocante; em primeiro lugar pelo próprio acto de violência transformada em espectáculo; em segundo lugar pelo desrespeito pela vida animal, tratada como se fosse um objecto; em terceiro lugar pela mensagem que passa aos que assistiram, sobretudo às crianças, de que é perfeitamente normal e desejável, matar e esquartejar seres vivos, mamíferos, quando já não servem os nossos interesses.

 

Para uma sociedade que se diz muito avançada como é a Dinamarquesa, isto, quer dizer, a normalidade com que levaram a cabo todo este projecto violento e a surpresa de terem sido criticados internacionalmente, é um sintoma gave de que algo se passa nessa sociedade - não é na Dinamarca que todos os anos têm uma matança selvagem de golfinhos indefesos? Talvez não seja um acaso ser a Dinamarca o país da Europa com mais violência sobre as mulheres e as raparigas...

 

Se os Zoos não precisam dos animais dêem-nos a outros Zoos, arranjem-lhes uma solução num contexto de vida e não de morte. Se não têm soluções para os seus animais não tenham Zoos... Os leões africanos são uma espécie ameaçada... agora mataram leões e crias porque querem que as leoas tenham uma descendência com outro DNA. Mas o que se passa com os países do Norte e a obsessão do apuramento de raças...?

 

 

publicado às 04:36


Piketty's Inequality Story in Six Charts

por beatriz j a, em 27.03.14

 

 

 

Piketty's Inequality Story in Six Charts

 

 

publicado às 22:22


Sem comentários...

por beatriz j a, em 27.03.14

 

 

 

Sem comentários ....

 

 

publicado às 20:41


Do gabinete de curiosidades

por beatriz j a, em 27.03.14

 

 

 

violin rijksmuseum

 

 

publicado às 20:35


Separados à nascença

por beatriz j a, em 27.03.14

 

 

 

  

Maduro manda prender generais por estarem contra ele...

 

 

Erdogan mandou bloquear o youtube por estar contra ele...

 

 

publicado às 18:26

 

 

 

Cáritas Europa alerta para "aumento galopante" da dívida pública portuguesa

 

O desemprego aumentou acentuadamente e há uma alta taxa de desemprego dos jovens em Portugal, refere o documento, que assinala também o "aumento significativo" da emigração e da taxa de risco de pobreza para adultos jovens (menos de 25 anos).

 

O documento alerta que o novo pacote de medidas de austeridade muito graves, que está em execução com o objectivo de cumprir as metas de redução do défice, irá agravar a situação de muitas pessoas.

 

Na apresentação do relatório em Atenas, o presidente da Cáritas Portuguesa afirmou que "a crise está a destruir a classe média em Portugal".

Eugénio Fonseca afirmou que "a pobreza em Portugal é uma pobreza de vergonha".

 

"As pessoas têm vergonha de mostrar a miséria total em que estão agora, porque pertenciam a classe sociais que tradicionalmente nunca contaram entre os mais vulneráveis", explicou.

 

A nível geral, o relatório aponta para uma situação já evidenciada no primeiro relatório: "a injustiça da actual situação em que estão os contribuintes, a maioria deles já em condições de fragilidade económica, a pagar por uma crise que tem a sua raiz no sector financeiro".

O relatório adverte que a opção pela austeridade como única solução não chega para resolver as causas estruturais da crise, nem os problemas imediatos que dela resultam.

 

Destaca o impacto que a austeridade tem tido, por exemplo, no sector da saúde e que "está na génese da quebra de confiança dos cidadãos nas instituições nacionais e europeias".

 

A Cáritas não é propriamente suspeita de ser de esquerda ou da oposição...

 

 

publicado às 16:45


Eleições para o Parlamento Europeu

por beatriz j a, em 27.03.14

 

 

 

 

 

 Para explorar as eleições para o Parlamento Europeu

 

 

 

 

 

 

publicado às 14:59


Os Rapazes dos Tanques

por beatriz j a, em 27.03.14

 

 

 

 

 

 

Comprei este livro, chegou-me a casa há coisa de hora e meia e acabei agora mesmo de o ler. É um livro que tem que se ter, um documento histórico mas também de reminiscência indivivual. Um testemunho fotográfico, com relatos dos envolvidos, do dia 25 de Abril.

Começa com uma fotografia do Cais do Sodré, quase deserto, às 6.45 da manhã. Depois, vamos acompanhando, hora a hora, a progressão dos tanques (carros de combate...) e da coluna de Santarém, comandada pelo Salgueiro Maia, desde o Cais das Colunas, Ribeira das Naus, Praça do Município, Rua do Ouro até ao Carmo, de onde sairá o Marcelo Caetano. O livro está muito bonito.

 

 

publicado às 14:40

 

 

 

murat ibrahim

 

 

 

Pecado Original

 

Ah, quem escreverá a história do que poderia ter sido?
Será essa, se alguém a escrever,
A verdadeira história da humanidade.

O que há é só o mundo verdadeiro, não é nós, só o mundo;
O que não há somos nós, e a verdade está aí.

Sou quem falhei ser.
Somos todos quem nos supusemos.
A nossa realidade é o que não conseguimos nunca.

Que é daquela nossa verdade — o sonho à janela da infância?
Que é daquela nossa certeza — o propósito a mesa de depois?

Medito, a cabeça curvada contra as mãos sobrepostas
Sobre o parapeito alto da janela de sacada,
Sentado de lado numa cadeira, depois de jantar.

Que é da minha realidade, que só tenho a vida?
Que é de mim, que sou só quem existo?

Quantos Césares fui!

Na alma, e com alguma verdade;
Na imaginação, e com alguma justiça;
Na inteligência, e com alguma razão —
Meu Deus! meu Deus! meu Deus!
Quantos Césares fui!
Quantos Césares fui!
Quantos Césares fui!

Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa

 

 

publicado às 09:09


A Rússia imperial pré-soviética, a cores

por beatriz j a, em 26.03.14

 

 

 

Fotografias mostram a diversidade dos povos e culturas da Rússia pré-soviética. Fascinante.

 

 

 

 

"Dagestani types." (Prokudin-Gorskiĭ/Library of Congress)

 

 

 

 

 um encontro de homens (parece uma cena de um filme)

 

 

 

 

 turqueménia

 

 

 

 

 Emir Seyyid Mir Mohammed Alim Khan, the Emir of Bukhara, seated holding a sword in Bukhara, 1910

 

 

 

 

 Isfandiyar Jurji Bahadur, Khan of the Russian protectorate of Khorezm, 1910

 

 

 

 

colored-vintage-photos-russia-22

Cornflowers in a field of rye, 1909. (parece uma pintura)

 

publicado às 22:00


O discurso de Obama

por beatriz j a, em 26.03.14

 

 

 

Obama addressed about 2,000 young people at an art deco arts centre in central Brussels.

 

"We must never forget that we are heirs to a struggle for freedom," Obama said, adding that the Ukraine crisis has neither easy answers nor a military solution. "But at this moment, we must meet the challenge to our ideals, to our very international order, with strength and conviction."

Drawing on modern struggles, like gay rights, as well as the ethnic cleansing and world wars, Obama sought to draw a connection between the US experiment in democracy and the blood spilled by Europeans seeking to solidify their own right to self-determination.

"I come here today to say we must never take for granted the progress than has been won here in Europe and advanced around the world," Obama said.

 

Obama fez um discurso inspirado e inspirador. O indivíduo é um grande orador e deve ter sido um excelente professor.

Falou sobre a luta pelos direitos humanos e civis, a luta pela pela liberdade, defendeu que o mundo não é dos fortes mas que todos têm igual assento na reunião de nações, que não podemos descansar e esperar sempre que seja o outro a resistir e a lutar pela liberdade, que a aceitação da diversidade e da diferença fortalece a democracia, que os EUA estão decididos a trabalhar pela diplomacia, defendendo a força da autoridade contra a autoridade da força, defendeu o isolamento da rússia, a pressão através dos instrumentos económicos.

 

Enfim, muito inspirador... pena é que depois as forças de segurança americanas andem a espiar as conversas telefónicas, mensagens e PCs de tudo quanto é gente, privando essas pessoas da liberdade da privacidade, que não fechem aquele centro de tortura de Guantanamo e outras cenas do género, contrariando estas palavras inspiradas...

 

 

publicado às 20:46

 

 

Professores de Informática estão contra limitações no acesso às redes sociais nas escolas

.

A decisão de fechar o acesso às redes sociais a partir dos computadores da escola, entre as 8h30 e as 13h30, anunciada na terça-feira pelo Ministério da Educação, foi mal acolhida pelos professores de Informática.

 

"Não estamos num país de censura digital", reagiu ao PÚBLICO Fernanda Ledesma, presidente da Associação Nacional de Professores de Informática, para quem tal interdição vai "limitar o professor na escolha das metodologias e das estratégias a trabalhar com os alunos". 

O curioso, segundo Fernanda Ledesma, é que a participação em redes como o Facebook, o Instagram e o Tumblr integra os conteúdos programáticos da disciplina. "O saber ser e estar nas redes sociais e as condições de privacidade no perfil de cada um fazem parte dos conteúdos programáticos. A via correcta nestas questões nunca é proibir, mas educar para", insurge-se aquela responsável.

 

Sublinhando que o acesso às redes sociais nas escolas se faz sobretudo a partir dos dispositivos móveis que os alunos levam para a escola, como os smartphones, a representante dos professores de Informática diz que o MEC já foi contactado no sentido de rever as normas constantes da circular que foi enviada às escolas. 

 

 

publicado às 19:52

 

 

 

25 Abril. Otelo assume que se excedeu "largamente" na ocupação de terras

.

 .

Nessa corrente, confessa o agora coronel, ter-se-á excedido: “Eu excedi largamente as minhas funções. Fiz coisas…”

.

 

Quatro décadas depois, reconhece excessos embora não se arrependa: “Era necessário tomar decisões, mesmo que elas fossem más. Tinham de ser tomadas. Depois logo se via.”

 

“Foi o que aconteceu inúmeras vezes, uma delas com a reforma agrária, quando mandei ocupar as terras”, contou. Nas duas semanas seguintes, “1,2 milhões de hectares de terras foram ocupadas no Alentejo”.

 

Para o capitão de Abril, o fundamental do Processo Revolucionário em Curso (PREC) foi “essa demonstração de capacidade, de criatividade por parte do povo, do povo anónimo”.

 

“O povo aí sentiu poder. Sentiu que ele, povo anónimo, tinha a possibilidade de participação. O povo entrava nas decisões. Não era ‘dá cá o voto e vai-te embora, daqui a quatro anos a gente fala’. O povo participava diariamente e a vida política ativa durante este período do PREC foi notável”, frisou.

 

Pois fez 'coisas' sim e eu sei de algumas delas em primeira mão. 'Era preciso tomar decisões e depois logo se via', quer ele dizer que as decisões eram tomadas para ostentar o seu poder e não para o exercer, que é o costume dos autoritários: não usam o poder para servir mas meramente para mostrar quem manda e se servirem. No caso dele havia uma grande vaidade pessoal evidente...

 

Em duas semanas ocupou 1,2 milhões hectares de terras... que violência não foi necessária para conseguir uma tal empresa...?

 

E, com que fim? 'O povo sentia poder e entrava nas decisões'? Grande mentira! Quem tinha o poder e o usava com abuso e arbitrariedade era o PC e o seu braço armado, o COPCON, cujo chefe se comportava como um Kadafi à portuguesa.

O povo andava duma banda à outra, a ver se sobrevivia aos novos senhores e foi tão enganado por eles, esses proto-soviéticos estalinistas à portuguesa como tinha sido pelos do regime anterior.

 

O Otelo deve querer enganar-se a si próprio porque não engana ninguém que por lá tenha andado nessa época e tenha presenciado e sofrido as 'decisões' e o 'logo se via' do Otelo. E, se o período do PREC foi notável foi por ter tentado destruir a possibilidade duma vida em democracia que o 25 de Abril tinha iniciado. Mas tudo se vem a saber mais tarde ou mais cedo...

 

E ninguém lhe tem ódios como ele pensa, eu pelo menos não tenho -o ódio é como nós bebermos veneno e esperarmos que isso mate o outro...-, só um certo desprezo como se tem por todos que demonstram a sua fraqueza sendo autoritários, abusando do poder e desrespeitando os outros e a sua diversidade. E acima de tudo pena... que numa época tão importante o poder tenha sido ocupado por alguém que não esteve à altura da situação e desperdiçou uma grande oportunidade daquelas que raramente acontece na História.

 

É irónico que aquilo que o Salazar fez de errado, isto é, não ter-se ido embora após a Segunda Guerra Mundial, pois ao permanecer estragou tudo o que tinha feito de bem anteriormente, é o mesmo erro que cometeu o Otelo, seu opositor: fez a revolução e depois, logo a seguir, em vez de desaparecer paara qualquer lado, dedicou-se a estragar o que de bem tinha ajudado a fazer.

 

 

publicado às 19:13


Títulos de hoje

por beatriz j a, em 26.03.14

 

 

 

No ano passado, o ministério tutelado por Nuno Crato transferiu um total de 172,7 milhões de euros para 593 entidades privadas

O Grupo GPS, sobre o qual pendem suspeitas de corrupção e de enriquecimento ilícito, recebeu por parte do Estado uma quantia estimada em 20,8 milhões de euros em 2013, revelou o "Diário de Notícias".

 

(aqui para nós, a educação, transformada em negócio, está tomada por mercadores e gente sem escrúpulos)

 

............

Norte-coreanos obrigados a ter penteado igual ao líder

...os cortes de cabelo já eram regulamentados na Coreia do Norte. As mulheres tinham 18 estilos à escolha e os homens 10

 

(aqui para nós, conheço algumas pessoas que querem obrigar os outros a terem cabeças iguais às suas. e até acham que têm poder para isso.. e não são da Coreira do Norte...)

 

 

publicado às 18:37


Pormenores

por beatriz j a, em 26.03.14

 

 

 

 

Luís Rodrigues (palácio do Buçaco)

 

 

publicado às 05:40


Bem, bem...

por beatriz j a, em 25.03.14

 

 

Ministério da Educação limita acesso à Internet nas escolas

“Paralelamente” e para “melhorar a qualidade do acesso à Internet”, a DGEEC anunciou às escolas limitações à entrada no Facebook, Tumblr, Instagram e lojas Android e Apple, entre as 08h30 e as 13h30. Nas restantes horas há uma limitação de utilização máxima. Actualizações para o sistema operativo Windows só serão possíveis das 17h às 8h do dia seguinte. O YouTube não terá limitação horária mas fica abrangido por um limite de utilização.

 

Limitar o acesso ao Facebok e outras redes sociais durante o horário escolar parece-me bem mas já o caso do youtube não me parece nada bem. O youtube está cheio de documentos científicos: documentários, entrevistas, pequenos filmes que relatam experiências, etc. Eu uso-o bastante nas aulas de Psicologia e não só. Para todos os autores e temas que fazem parte do programa é possível encontrar lá o testemunho dos próprios investigadores ou as experiências originais, bem como outros documentos que são muito bons, pedagogicamente, para ilustrar a matéria.Tem imenso material para a estética, para a lógica...

Limitar o youtube seria, no mínimo, estúpido porque, as escolas não têm maneira de aceder aos milhares de documentos que o site tem de outro modo. 

 

 

publicado às 22:58


Ouch!

por beatriz j a, em 25.03.14

 

 

 

What happened to France?

 

 

An Englishman and a Frenchman are discussing the definition of the expression “savoir faire.” “Well,” says the Englishman, “as I see it, savoir faire is when you come home from work early, walk in on your best friend humping your wife, and have the presence of mind to say, ‘Sorry—do carry on.’ ”

“Mais non,” replies the Frenchman. “That is a very Anglo-Saxon attitude. That is not savoir faire—that is your politeness. Savoir faire is husband comes home from work early, walks in on best friend on top of wife, and says, ‘Sorry—do carry on.’ The savoir faire part is being able to carry on.”

 

Maintenant, France looks like it’s losing its savoir faire—its adroitness, that innate je ne sais quoi understanding to do just the right thing in just the right manner. .

 

Hollande’s perfectly predictable affair was so revealing of the French state of affairs, and affairs of state, not because it happened—that a Frenchman has a mistress is hardly news; this was Frenchman with mistress caught with further mistress—but because of the utter lack of savoir faire involved. That was the smirking surprise. Everyone involved behaved with a tragic absence of chic.

 

First, he was caught on a moped. Really, how pencil-dick is that? And it was a three-wheeled moped—a motorized tricycle. And he was sitting pillion, in the passenger seat. Not exactly Alain Delon, is it? Do you think he held on tight round his security driver’s waist? And then the helmet—the business suit with the terrible shoes and the giant helmet. Like Michael Dukakis trick-or-treating as Daft Punk. It’s worth pointing out that France has banned women from wearing the veil—because, they say, it’s demeaning to women. But, apparently, wearing a giant motorbike helmet to visit your girlfriend isn’t demeaning for either you or the girlfriend.

 

 

publicado às 20:58


Nice :))

por beatriz j a, em 25.03.14

 

 

 

We're always wasting our energy—energy that can be used to, well, power a light bulb. It's this line of thinking that led a 16 year old to invent the first flashlight powered entirely by body heat.

 

 

A high school student has invented an LED device that uses body heat to light up
Smithsonian Magazine|By Tuan C. Nguyen

publicado às 20:27


Deixa ver se entendo

por beatriz j a, em 25.03.14

 

 

 

Especialista diz que “maioria das empresas não é amiga da natalidade”

.

“A descida está a ser abrupta, alerta super vermelho, primeiro temos de estabilizar”, começou por dizer Joaquim Azevedo, que foi anunciado no mês passado por Passos Coelho, para chefiar um grupo multidisciplinar sobre esta matéria e apresentar um plano de acção em três meses.

 

 

2010, 2011, 2012, 2013 e 2014 são anos de despedir, mandar emigrar os que estão em idade fértil e incentivar a precaridade do trabalho; 2014 é o ano de criar um grupo de trabalho para estudar as causas de não termos casais a ter bébés e os nascimentos estarem no alerta vermelho!!!!!???

 

 

publicado às 20:20


Relvas, o grande administrador público...

por beatriz j a, em 25.03.14

 

 

 

O terreno que a Fundação quer comprar por cinco milhões de euros e outras parcelas em redor - com uma capacidade de construção de 120 mil m2 - são propriedade de um fundo da Caixa Geral de Depósitos, gerido pela Norfin, uma sociedade gestora que tem na administração o social-democrata Alexandre Relvas e Filipe Bottom, administradores da Logoplaste, cuja fábrica é também naquela região.

 

 

publicado às 17:21



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics