Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Bom dia mundo

por beatriz j a, em 04.10.13

 

 

 

Esta obra se llama "Ciudadano del mundo" y reúne cada una de las banderas de todos los países del planeta. Todo un manifiesto a favor de una verdadera unión entre las Naciones.

El artista de Benín @[203137749748251:274:Meschac Gaba] expone "Museo de arte contemporáneo africano" hasta finales de esta semana en la @[20134383992:274:Tate] Modern de Londres. Esta obra se llama "Ciudadano del mundo" y reúne cada una de las banderas de todos los países del planeta. Todo un manifiesto a favor de una verdadera unión entre las Naciones.

publicado às 06:50


e germinar no sono, germinar na árvore

por beatriz j a, em 03.10.13

 

 

 

Nascimento último
 

Como se não tivesse substância e de membros apagados.
Desejaria enrolar-me numa folha e dormir na sombra.
E germinar no sono, germinar na árvore.
Tudo acabaria na noite, lentamente, sob uma chuva densa.
Tudo acabaria pelo mais alto desejo num sorriso de nada.
No encontro e no abandono, na última nudez,
respiraria ao ritmo do vento, na relação mais viva.
Seria de novo o gérmen que fui, o rosto indivisível.
E ébrias as palavras diriam o vinho e a argila
e o repouso do ser no ser, os seus obscuros terraços.
Entre rumores e rios a morte perder-se-ia.

António Ramos Rosa
No Calcanhar do Vento - 1987

 

 

publicado às 22:01

 

 

 

Um livro que a/o deixe alegre

 


Tom Sharp, Wilt na Maior.

 

 

 

 

 

Só de pensar na cena em que vão desenterrar o cadáver e sai de lá a boneca insuflável, com toda a gente a ver fico logo bem disposta. O que me ri à gargalhada a ler este livro!

 

publicado às 17:39


Quem quer ser professor hoje?

por beatriz j a, em 03.10.13

 

 

 

         Estatuto social dos professores em Portugal entre os mais baixos do mundo

De acordo com o estudo que suporta o ranking hoje divulgado, apenas 12% dos portugueses encorajam os seus filhos a tornarem-se professores, o que é o segundo nível mais baixo, apenas suplantado por Israel. Além disso, mais de 50% dos respondentes nacionais assumem que “provavelmente ou definitivamente” não encorajarão os seus filhos a tornarem-se professores, a mais alta percentagem entre os 21 países do estudo.

 

Os portugueses mostram também uma confiança “moderada” no seu sistema de educação – ainda assim com melhores resultados que países como Alemanha, Itália, França, Espanha e Grécia –, mas dão nota positiva aos professores, a quem atribuem um nível de confiança de 6,5 (numa escala de 10), o segundo mais alto a nível europeu. “Isto sugere que Portugal deposita maior confiança nos seus professores do que no sistema de ensino”, salientam os autores deste trabalho.

 

Os cidadãos nacionais acreditam que o salário “justo” para os docentes seria significativamente superior àquele que estes realmente recebem – 30073.66 euros, face aos 26101.21 actuais. Outra conclusão do relatório aponta para o facto de a generalidade dos portugueses apoiar um sistema de vencimento em que os professores sejam pagos em função da performance dos alunos. Quase 80% dos inquiridos estão de acordo com a medida, o valor mais alto em todos os países europeus avaliados. Ainda assim, a nível internacional, esta forma de pagamento dos professores por 59% das pessoas.

publicado às 10:46


Isto não tem fim...

por beatriz j a, em 03.10.13

 

 

 

E são sempre os mesmos nomes... e nós a pagar...

 

BPN já nacionalizado concedeu 135 milhões de crédito de risco

Gestão nomeada pelo Governo de Sócrates, em 2008, para gerir o banco concedeu empréstimo à SLN Valor sem garantias suficientes.


O Banco Português de Negócios (BPN) concedeu, em 2010, quando estava ainda nas mãos do Estado, um financiamento de 135 milhões de euros à sociedade SLN Valor, tendo como única contrapartida acções de duas sociedades com uma situação financeira frágil. Este empréstimo - que, com os juros entretanto vencidos, soma agora um total de 159 milhões devidos - é a principal fatia de um pacote de 471,1 milhões de créditos reestruturados recentemente pela Parvalorem.

 

publicado às 10:10


philosophy rocks!

por beatriz j a, em 03.10.13

 

 



Tags:

publicado às 10:03


Hoje o dia de trabalho foi muito comprido

por beatriz j a, em 02.10.13

 

 

Andei lá pela escola a dar aulas e em reunião com pais mas nem por um momento esqueci que dia é hoje.

 

Lembrar é fácil para quem tem memória. Esquecer é difícil para quem tem coração. William Shakespeare



publicado às 21:03


Directamente do FB

por beatriz j a, em 02.10.13

 

 

 

Common Problemhttp://9gag.com/gag/azbXQBZ?ref=fbp

 

publicado às 14:05

 

 

 

Pelo mundo inteiro abriu a caça aos professores. Já dura há quase dez anos.

 

 

Mulheres professoras se protegem de gás lacrimogêneo em meio a protesto no centro do Rio de Janeiro

 

publicado às 04:56

 

 

 

Um livro que tenha lido mais de três vezes

 

 

'As Leis' de Platão.

 

 

 

 

As pessoas não são todas iguais. Há pessoas verdadeiramente notáveis que não têm nada que ver com o vulgo e Platão foi uma dessas pessoas. Defendia a dialéctica como método da Filosofia e praticava-a. Incentivava os discípulos a questioná-lo. Passou a vida toda numa demanda pela verdade em vários assuntos e nunca teve medo de se pôr em causa.

Tendo escrito 'A República' como a grande obra onde expõe as suas ideias sobre a organização da cidade e o seu governo (em parte condicionado pelo cepticismo que tem relativamente à Democracia que vê como um governo de inferiores e corruptos capazes de matar alguém como Sócrates) por filósofos-reis, educados para governarem com sabedoria, não tem nenhum problema em chegar ao fim da vida ('As Leis' são a sua última obra) e pôr em causa tudo o que havia defendido relativamente ao governo da cidade e ao papel da Democracia e das Leis. Isto, não é para qualquer um... esta auto-crítica e capacidade de regeneração das ideias.

O problema de como fazer um sistema político funcionar com justiça e verdade para o bem da maioria atormenta-o toda a vida e, nesta obra, sentimos a urgência dele em conseguir respostas e deixá-las para os que vierem a seguir antes que o seu tempo se esgote. Neste livro, tenta fundar as raízes duma Democracia baseda em Leis e em mecanismos que constantemente a vigiem de modo a não deixá-la resvalar para um governo de inferiores e corruptos. Na sua ponderação pesa todos os aspectos do problema, desde a psicologia humana à metafísica, passando pela gnosiologia e pela ética.

Hoje em dia as sociedades são mais complexas e têm problemas que a sociedade no tempo dele não tinha mas, os dados do problema de, como construir uma Democracia justa e garantir que não resvale para um governo de inferiores e corruptos, estão aqui todos.

De cada vez que leio este livro sinto-me a entrar nos meandros do pensamento de um intelecto genial e a percorrê-los com ele. É das coisas mais excitantes que pode haver.

 

publicado às 04:31


Citação deste dia

por beatriz j a, em 02.10.13

 

 

If you are neutral on situations of injustice you have chosen the side of the oppressor (Desmond Tutu)



Tags:

publicado às 04:17

 

 

 

Great jam :))

 

 

 

publicado às 22:28


Palhaçadas

por beatriz j a, em 01.10.13

 

 

 

Governo admite redução do horário de 40 horas


Apanharam um susto com os resultados das autárquicas...



publicado às 22:04


Há um choque intra-civilizacional

por beatriz j a, em 01.10.13

 

 

Revoltados com os políticos 

Andrea Pitruzella também foi enviada para casa, porque os serviços das finanças onde trabalha fecharam portas. Em todo o país, 90% dos funcionários do departamento de IRS foram dispensados.

"Tudo ficou suspenso, menos os ordenados dos políticos do Congresso e da Casa Branca, responsáveis por esta situação", afirma num tom irritado.

Os vencimentos a que Andrea se refere são classificados de "Mandatory Payment", ou seja, aconteça o que acontecer nunca serão suspensos pela Câmara dos Representantes, a câmara baixa do Congresso Americano que tem a competência, definida pela Constituição, de financiar os programas públicos.

 

Passa-se no interior de cada e todas as nações ocidentais. Os políticos e todos que adejam ao redor -banqueiros, grandes empresários, firmas de advogados e consultores- sorvendo a liquidez de um lado e de outro o povo, crítico do despesismo, do excesso de consumismo, dos abusos dos políticos... este modelo de sociedade está gasto e em falência. Ninguém aprende nada com a história...

 

publicado às 21:46


Citação deste dia

por beatriz j a, em 01.10.13

 

 

 

True courage is not the brutal force of vulgar heroes, but the firm resolve of virtue and reason (Alfred North Whitehead)

 

Tags:

publicado às 21:25


something beautiful

por beatriz j a, em 01.10.13

 

 

 

Andrew Zuckerman

publicado às 21:03


tired

por beatriz j a, em 01.10.13

 

 

Reuniões de pais... também gosto destes pais. Gosto dos filhos e gosto dos pais :))

 

Vou jantar e ver qualquer coisa bela porque a semana que passou foi muito difícil e esta vai pelo mesmo caminho. O que anima são os alunos. As aulas. O tempo que passo nas aulas. E hoje os pais :)

publicado às 20:38

 

 

 

O melhor livro que leu no ano passado

 

'Escape from the terror: the journal of Madame de la Tour du Pin' por Henriette-Lucy Dillon, Marquise de La Tour du Pin-Gouvernet


 

(A Tomada das Tulherias em 10 de Agosto de 1792,
por Jean Duplessis-Bertaux)

 

 

O que torna o livro notável é ter sido escrito em primeira mão por uma pessoa que viveu na corte de Maria Antonieta e, mais tarde, frequentou a corte de Napoleão. Tendo tido que fugir e ajudar o marido a esconder-se de Madame la Guillotine, tem o mérito de nos fazer entrar na vida diária, primeiro do luxo e hábitos da corte francesa, depois, das peripécias, angústias e dificuldades do quotidiano da época da Guilhotina e dos esquemas que se faziam para se lhe escapar, e ainda de um certo perfil do Napoleão e da vida 'nas Américas' do século XVIII onde viveu exilada uns anos. O livro abrange uma época vertiginosa de acontecimentos em vários países e dá-nos o ponto de vista da classe dominante, o da classe dominada e o da classe aterrorizada. Tudo contado com muitos pormenores, reflexões interessante e muita arte.

 

 

publicado às 05:45


Água morrente

por beatriz j a, em 01.10.13

 

 

 

ÁGUA MORRENTE

 

          Il pleure dans mon coeur

          Comme Il pleut sur la ville.

                                  Verlaine

 

Meus olhos apagados,

Vede a água cair.

Das beiras dos telhados,

Cair, sempre cair.

 

Das beiras dos telhados,

Cair, quase morrer...

Meus olhos apagados,

E cansados de ver.

 

Meus olhos, afogai-vos

Na vã tristeza ambiente.

Caí e derramai-vos

Com a água morrente.

 

 

 Camilo Pessanha (Clepsydra, 1920) 

 

publicado às 05:11

Pág. 10/10



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics