Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





scars

por beatriz j a, em 25.08.10

 

 

 

A voice said, Look me in the stars
And tell me truly, men of earth,
If all the soul-and-body scars
Were not too much to pay for birth.

 

Robert Frost

 


publicado às 21:02


leste isto ò Santos Silva? Percebeste pá...?

por beatriz j a, em 25.08.10

 

 

 

Agente do MI6 encontrado morto em Londres

Um alegado agente dos serviços secretos britânicos (MI6) foi encontrado morto numa casa em Pimlico, Londres. O corpo foi encontrado pela polícia na casa de banho dentro de um saco de desporto

 


publicado às 19:44


estatuto do aluno...?

por beatriz j a, em 25.08.10

 

 

 

Não é possível consultar o novo estatuto do aluno promulgado pelo Presidente porque o site do Ministério continua assim:

 

Service Temporarily Unavailable

The server is temporarily unable to service your request due to maintenance downtime or capacity problems. Please try again later.

 

 

O Ministério da educação é uma colecção de gente com mentalidade estalinista e competência nula...

publicado às 19:32


happy hour

por beatriz j a, em 25.08.10

 

 

 

De volta a casa... um vodka martini e descansar...

 

 

 

 

publicado às 18:53


a melhor notícia do mês

por beatriz j a, em 24.08.10

 

 

 

 

Cavaco Silva promulgou pacote anticorrupção
O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, promulgou hoje os oito diplomas do chamado «pacote anticorrupção»

 

«A corrupção tem um potencial corrosivo para a qualidade da democracia que não pode ser menosprezado. Como tal, todos devem ser chamados a travar a batalha da moralização da vida pública, a bem da democracia e a bem da República. São por isso de saudar todas as iniciativas que, de uma forma séria, contribuam para debelar o fenómeno da corrupção», disse ainda na ocasião.

 


publicado às 12:30


beethoven, violin romance

por beatriz j a, em 24.08.10

 

 

 

publicado às 00:34


memórias

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

 

 

Cecile Baird

 

 

Andava a ver umas imagens de arte e fui dar com esta pintura que me trouxe à memória uma cena da infância que já tinha esquecido. Na cozinha dos meus avós, em casa de quem almoçava enquanto andei na escola primária, porque eles moravam perto, havia um relógio de parede castanho com o mostrador igual a esse da pintura. Quem me ensinou a ver as horas foi o meu avô Alfredo. De repente, ao olhar para esta pintura veio-me à memória, vividamente, a cozinha com o linólio no chão, eu própria com 5 anos, o relógio na parede branca e o meu avô, com a vassoura na mão, o cabo a servir de ponteiro enquanto me fazia repetir as horas e os minutos.

O Freud bem tinha razão quando dizia que a memória de longo prazo guardava tudo, o que faltava era a perícia para ir lá desenterrar as coisas.

publicado às 23:20


oportunidades perdidas

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

Neste país perdeu-se uma grande oportunidade de ter uma educação pública de excepção. Houve uma altura, lá pelo início dos anos 90, que por uma série de factores que se conjugaram positivamente estavam reunidas condições para pôr a escola pública ao nível das melhores congéneres da Europa. Nessa altura o número de alunos começou a diminuir e havia excedente de professores no sistema. Tinham entrado em catadupas com a massificação do ensino após a revolução. Teria sido fácil ter quadros estáveis nas escolas, aproveitar essa gente para diminuir os alunos por turma e as turmas por professor; pôr esses professores a dar apoios, a desenvolver projectos com os alunos e a fazer o que mais fosse necessário.

Não implicava acréscimo de custos porque já estavam no sistema (agora estão na reforma a absorver milhares de euros da segurança social e a escola já tem falta de professores...), era uma questão de ir, aos poucos, modernizando as escolas, com equipamentos e técnicos profissionais.

Em vez disso preferiu-se levar os professores em excesso para ministérios e direcções regionais para servirem de caciques às políticas dos governos e às modas dos que se punham a brincar aos ministros de educação. Agora começam a faltar professores a várias disciplinas (reformaram-se antecipadamente) e funcionários; as escolas não foram modernizadas, nem se contratraram técnicos.

Na realidade perdeu-se uma oportunidade que não voltará a repetir-se e nada se fez a não ser drenar as escolas dos seus já parcos recursos.

Mesmo agora, nem tudo está perdido porque há muita gente nas Direcções Regionais e no ministério que poderia voltar às escolas e ainda estamos a tempo de inverter as políticas desastrosas dos últimos tempos.Desfazer a escola fábrica e as direcções não democráticas - era preciso apenas que a lógica não continuasse a ser a mesma: ter caciques a impôr os interesses de quem governa, ou seja, era preciso mudar esta gente porque enquanto forem os mesmos a mandar nada mudará.

Gostava de saber o que pensa o PSD da educação e o que pensa fazer se for o próximo governo. Ainda não ouvi uma única palavra spobre o assunto. Só reacções a isto ou aquilo mas ideias...nada.

 

publicado às 22:41


coisas inacreditáveis

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

 

Entrevista Augusto Santos Silva

Portugal deverá ter espiões militares no Líbano

Espiões militares seguem para teatro de operações do Afeganistão no Outono. O ministro acredita que também no Líbano - os militares portugueses participam na UNIFIL - deve haver este "instrumento"

 

Só visto que contado ninguém acreditaria...porque é que já agora não publica o nome e a cara dos indíviduos?

Este indivíduo que é um atraso de vida profissional já foi ministro de muita pasta. Já foi ministro da educação...o que explica imensa coisa...

Se não estivéssemos num país quase república de bananas era já demitido, mas estamos, de modo que deve ser promovido.

 


publicado às 22:07


os filhos e os pais

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

Hoje fomos no barco até uma praia mais longe. Perto do sítio onde ficámos estava uma família grande - vários casais com as respectivas descendências. Os filhos, adolescentes, puseram-se a jogar às cartas com um palavreado de f....... para aqui e c........ para ali em cada frase que diziam. Como aquela hora já não estava ali muita gente e falavam altíssimo ouvia-se ao longe. Nem uma única vez os adultos, que fingiam não estar a ouvir nada mas que se via pelo ar apertadinho que estavam incomodados, chamaram a atenção dos rapazes apesar de andarem ali perto miúdos de outras famílias visivelmente incomodadas. Quando estes adolescentes andarem pelas escolas a falar daquela maneira, como vão responder aos professores que ralharem com eles, se os próprios pais agem como se fosse muito natural aquela maneira de falar em público.

Já outro dia num restaurante uma família que se sentou perto de nós com um puto com cerca de 4 anos que fazia um barulhão com um carro de brincar que usava como se fosse um martelo enquanto berrava de modo irritante, não disseram nem uma palavra ao miúdo no sentido de educar os seus instintos naturais e deixaram-no incomodar toda a gente. Quando este miúdo for para o primeiro ano incomodar toda a classe e a professora, como compreenderá que o seu comportamento não é aceitável se ele é plenamente aceite sem críticas pela sua família?

Com tanta conversa parva de pseudo-pedagogias que vomitam na televisão os pais demitem-se de educar os filhos. Acima de tudo querem parecer muito porreiraços e modernaços e não entendem que não há educação sem intervenção.

publicado às 21:57


filmes à hora da sesta

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

... to my immortal beloved, my angel, my other self

 

 

 

publicado às 14:06

 

 

 

"Quero ser investigador de física e ninguém me ajuda"

Bruno Balthazar tem 18 anos e teve nota máxima a Física (e Matemática) no secundário. Conquistou a medalha de bronze nas Olimpíadas Internacionais de Física e quer estudar em Oxford, mas não consegue apoios.

 

...é para políticos de carreira, chico-espertos, mafiosos do futebol, gerentes de prostíbulos e afins.

 


publicado às 11:51


quando o crime compensa...

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

...não há país que resista. Uns de nós pagamos mais impostos para tentar tirar o país da miséria para que caminha enquanto outros, os que mais têm, exportam o seu dinheiro para não terem de contribuir com impostos para o seu país. Querem todo o ganho sem nenhum sacrifício. Querem prémios de péssima e, quantas vezes, danosa gestão, querem privilégios, querem que a justiça feche os olhos, querem que o país se lixe, desde que o seu dinheirnho esteja a salvo.

Andamos todos a trabalhar para que uma minoria de ignorantes sem escrúpulos enriqueça sem nenhum mérito, sem nenhum contributo positivo para o país que saqueiam. Parece que estamos dentro dum pesadelo daqueles enormes que nunca mais acabam.

Se não querem contribuir para o país não deviam poder viver nele. Vão viver para os países para onde puseram o dinheiro, e não voltem mais.

 

 

Portugueses aplicam 1,2 mil milhões em 'offshores'  DN

Os portugueses estão a voltar a investir em força nos offshores. Durante o primeiro semestre de 2010, os investidores nacionais colocaram 1,2 mil milhões de euros naquelas praças financeiras, um valor que contrasta com a retirada de 467 milhões de euros em igual período do ano passado, de acordo com os dados do boletim estatístico do Banco de Portugal (BdP).

 


publicado às 11:27


trazidas pelo mar

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

 

Hospede inúmeras fotos no slide.com GRÁTIS!

Herenius

 

publicado às 11:02


novas tecnologias

por beatriz j a, em 23.08.10

 

 

Enviado por mail, por uma amiga

 

 

 

publicado às 00:53


Pedras del Rey sem sumo de melão

por beatriz j a, em 22.08.10

 

 

 

A fazer tempo para ir até à praia e a fazer figas para que não esteja bandeira encarnada nem a turbina de areia de ontem porque apetece dar um mergulho para refrescar. Subi até ao terraço para ver se via daqui o estado do mar. O terraço é o Tarrafal a esta hora. No bar da Nora este ano não fazem sumo de melão...a pior notícia desde que cheguei!

Estamos a congeminar uma maneira de cravar ventoínhas na recepção. Já me armei de Raid's anti-melgas. Passeio de bicicleta só mesmo ao fim do dia.

 

publicado às 15:04


enviado pelo duarte

por beatriz j a, em 22.08.10

 

 

 

Genial!

 

 

publicado às 14:14


manhã do meu terraço

por beatriz j a, em 22.08.10

 

 

 

 

 

publicado às 11:47


comunicação

por beatriz j a, em 21.08.10

 

 

 

 

Adriana van Zoest

 

 

Gostava de saber pintar. Saber falar através da pintura. Esta pintura, por exemplo, tão simples e tão perfeita na sua elegância. Por vezes as palavras faltam-nos e o que queríamos mesmo era transmitir directamente de dentro para dentro. Eu sei que toda a arte é mediada pelo olhar educado ou não educado, mas por vezes as artes plásticas têm essa virtude de serem imediatas na comunicação.

Não há vida sem comunicação. Onde não há comunicação não há nada. Nada.



publicado às 22:02


marés vivas

por beatriz j a, em 21.08.10

 

 

 

Andava a queixar-me de não haver ondas, hoje estava bandeira amarela. É o levante com as marés vivas de Agosto. Desagradável, não por causa da altura das ondas, embora estivessem com um metro e meio, mas porque as ondas rebentavam obliquamente, umas contra as outras com força em remoinhos e a fazer uma turbina de areia. Entrar, entra-se bem, o pior é sair. Ainda levei um chapadão duma onda que andei de lado. Uma rapariga levou três ou quatro, começou a vomitar, tiveram que ir lá buscá-la e levá-la para o hospital. À conta disso puseram bandeira vermelha... À volta, em vez de vir a pé pelo sapal vim no comboiozinho (onde vinha a rapariga de maca) porque as idas ao mar para refrescar deixaram-me desconfortavelmente com 100 quilos de areia no fato de banho.

Como as marés vivas duram uns dias amanhã vai estar mais ou menos igual. Melhor de manhã, pior à tarde.

 

publicado às 18:21



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics