Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]





sobre o progresso da alma

por beatriz j a, em 26.06.10

 

 

 

[The spirit]

"Can crowd eternity into an hour

Or strech an hour to eternity"

 

Some thoughts always find us young, and keep us so. Such a thought is the love of the universal and eternal beauty. Every man parts from that contemplation with the feeling that it rather belongs to ages than to mortal life.

(...) The soul has no dates, nor rites, nor persons, nor specialties, nor men. The soul only knows the soul, the web of events is the flowing robe in wich she is clothed.

After is own law and not by arithmetic is the rate of its progress to be computed. The soul's advance are not made by gradation, such as can be represented by motion in a stright line; but rather by ascension of state, such as can be represented by metamorphosis."

 

Ralph Waldo Emerson, Self-Reliance and Other Essays

 

publicado às 10:48


pessoas

por beatriz j a, em 26.06.10

 

 

Algumas pessoas na sua cegueira são cruéis.

 

 

ans markus

publicado às 07:55


what is life...

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

Life is not self-evident. Not for me.

 

 

 

 

THE BOXER

 

 

I am just a poor boy
Though my story's seldom told
I have squandered my resistance
For a pocket full of mumbles such are promises
All lies and jests
Still a man hears what he wants to hear
And disregards the rest

When I left my home and my family
I was no more than a boy
In the company of strangers
In the quiet of the railway station running scared
Laying low, seeking out the poorer quarters
Where the ragged people go
Looking for the places only they would know

Lie la lie ...

Asking only workman's wages
I come looking for a job
But I get no offers,
Just a come-on from the whores on Seventh Avenue
I do declare, there were times when I was so lonesome
I took some comfort there

Lie la lie ...

Then I'm laying out my winter clothes
And wishing I was gone
Going home
Where the New York City winters aren't bleeding me
Bleeding me, going home

In the clearing stands a boxer
And a fighter by his trade
And he carries the reminders
Of ev'ry glove that layed him down
Or cut him till he cried out
In his anger and his shame
"I am leaving, I am leaving"
But the fighter still remains

Lie la lie ...

publicado às 22:36


quando as pessoas já não têm nada a perder

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

 

Grécia
Bomba mata assessor de ministro em Atenas
A situação de segurança degrada-se na capital grega, onde a explosão de uma carta armadilhada matou esta noite um assessor do ministro da Administração Interna.

A Grécia está na falência e à beira duma revolução interna por anos a fio de corrupção dos governantes, que estão ricos. Vão ter que vender ilhas!
Em Portugal, ficámos a saber que, à medida que o povo empobrece aumentam o número de milionários...a corrupção é o que vê, todos os dias, e sempre impune. Já se imaginou o que era o governo vender as nossas ilhas para pagar os roubos e a corrupção que levaram o país ao caminho em que está...?

publicado às 19:14


tardes de quase-verão

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

do Fournier

 

 

Tardes de quase-verão

lânguidas sestas

à sombra das glicíneas

do caramanchão

deitada na colcha de damasco

um livro esquecido na mão.

 

Leve brisa traz a mim

o perfume

das rosas do jardim.

O zumbido da abelha

de roda do limoeiro

é ruído de baunilha

com aroma de loureiro.

 

Nesta paz de claro brilho

neste doce espreguiçar

longe de todo o barulho

hei-de contigo sonhar.

 

bja

 


publicado às 17:25

 

 

 

Ontem levei a máquina fotográfica e andei a tirar fotografias ao jardim da escola, porque a Parque Escolar vai começar as obras em Outubro -ao que dizem- e, apesar de todos garantirem que não vão mexer no jardim eu estou convencida que não vai sobrar grande coisa. Aquele jardim, excepto no que respeita aos plátanos, choupos, sobreiros, oliveiras e outras árvores grandes, foi todo plantado por professores e alunos de hortofloricultura.

Infelizmente as rosas já não estão na abundância em que estavam no mês passado, mas ainda as hei-de apanhar outra vez em flor.

Hoje levo outra vez a máquina. Entretanto deixo aqui umas.

 

 

rosas

 

o sr. Rodrigues, segurança, na escola há muitos anos

 

recanto (há duas semanas dei ali uma aula à sombra dum Plátano

 

 

e do Jacarandá (já perdeu as flores quase todas)

 

 

a seguir aos medronheiros, um caminho entre abetos e pinheiros

 

 

a macieira com maçãs ainda minúsculas

 

um dos medronheiros (os medronhos ainda verdíssimos)

 

o camaranchão da buganvílea

 

 

uma rosa

 

palmeiras

 

 

that's all folk's

 

(amanhã há mais)

publicado às 12:48


quem é que foi nomeado pelo governo?

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

 

Debate quinzenal no Parlamento

Sócrates anuncia 950 milhões de euros em programas do QREN

publicado às 12:21


identidades

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

A identidade nas preocupações, nos assuntos, cria, ou pelo menos eu sinto, uma ligação bloguista, mesmo não conhecendo as pessoas, ou, mais ainda, não me conhecendo elas a mim, nem a este blogue. Não interessa. Essa ligação e solidariedade existe. É muito interessante como as coisas podem surgir como identidades sentidas na distância.

 

publicado às 12:10


verdi, don carlo

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

Coisas belas fazem bem à alma.

 

 

 

 

publicado às 11:35


memória e conhecimento

por beatriz j a, em 25.06.10

 

 

Aprendizagem e memória são duas faces da moeda do conhecimento.

Onde não há memória, é evidente que não retemos o que aprendemos e por isso não formamos conhecimentos. Mas, podemos ter a memória intacta e não ter conteúdo para ela: onde não há aprendizagem, nada fica retido nessas despensas enormes que são a memória e que nos alimentam constantemente a alma e a vida.

Há sítios, pessoas, que nos encheram uma despensa inteira de memórias que continuamente nos alimenta: prateleiras e prateleiras de conversas, de partilhas, de risos, de ideias, de vivências, de sabores de cheiros...  depois, a mais pequena coisa nos traz à memória visões dos sítios, visões das pessoas: situações concretas que ficaram ligadas por fio invisível a essas fontes de vida.

Mas sem conteúdos não há aprendizagem, não há nada para pôr na despensa - sem conhecimento nada fica retido na memória.

A memória funciona com caminhos (engramas). Tal como uma vereda no campo que não sendo utilizada desaparece sob a erva que cresce sobre ela também os caminhos da memória, se não são percorridos, perdem consistência, tornam-se vagos, irreais.

É por isso que pessoas com uma grande experiência de vida têm muitas histórias para contar. Têm despensas inteiras cheias de alimentos. Outras estão mais ou menos vazias, ou cheias de irrealidades se foi nisso que transformaram os outros - uma espécie de musas, fantasias, personagens duma peça imaginária. É claro que isso significa que sacrificam a pessoa real para que nada perturbe a sua vida imaginária.

publicado às 09:11


precisamos de um certo tipo de pessoas

por beatriz j a, em 24.06.10

 

 

Não é só cá em Portugal que a democracia decai a olhos vistos. Veja-se como as prioridades do Sarkozy que anulou hoje um encontro agendado com Organizações Não Governamentais (ONG) de desenvolvimento, antes da cimeira do G20, para receber o futebolista Thierry Henry fazem lembrar o Sócrates.

Hoje em dia os políticos vêem-se como estrelas famosas e comportam-se como tal -passam o tempoa ir a festas e a aparecer em desfiles de modas e na TV e nas revistas cor-de-rosa- e as coisas só mudarão quando mudar a representação democrática (a nomeação de deputados que nada têm a ver com os que deviam represntar transformou a democracia numa farsa) e quando tivermos alguém com o minímo de qualidade à frente do governo.

Os líderes imprimem dinâmicas às equipas com que trabalham, impõem modelos de conduta e estabelecem a altura da fasquia ética de todo um governo e administração pública a partir da sua própria conduta. Veja-se o que se passou nos EUA com o general Stanley McChrystal. Habituado aos tempos do Bush, onde os políticos gastavam mais tempo a aparecer em shows de Tv que a governar, deu uma entrevista escandalosa à revista Rolling Stone, uma revista que já foi de música e agora é de fait-divers e cenas de diz que disse de estrelas de cinema, do rock, da política e da TV (que hoje em dia são mais ou menos do mesmo nível).

Eu li a entrevista e aquilo é demais. O homem diz mal do Presidente, chama palhaços aos conselheiros, cobarde a este e àquele, tudo com ares de estrela da TV. Só que isto já não são os tempos do palerma do Bush de modo que foi logo chamado a Washington e já foi demitido.

É isto que faz falta cá: pessoas sérias. Ainda hoje à conversa com a Cecília dizíamos que a corrupção comeu tanto miolo do país, que sendo este pequeno, está agora todo esburacado, tipo carcaça oca. Qualqer dia cai, porque já não tem estrutura.

 

publicado às 22:19


irrita ouvir estes tipos

por beatriz j a, em 24.06.10

 

 

 

Acabo de ouvir um deputado do PS a dizer na televisão, acerca da ida da ministra ao Parlamento para explicar o inexplicável (digo eu), que os que fazem crítica é gente que não sabe nada e faz demagogia primária. Está a referir-se a nós, claro!

Estes indivíduos que gastam mal o nosso dinheiro e quase levaram o país à bancarrota ainda gozam com isto tudo e connosco...

Não entendo certas coisas. Nenhuma destas pessoas tem convicções? Já se venderam todos ao poder? Nunca pensam nas pessoas que afecatm como pessoas? São coisas que se sacrificam à mesa do jantar para se armarem com uma gabarolice qualquer para mostrarem que têm poder? Sabemos que o dinheiro e o poder afectam a maior parte das pessoa muito negativamente. Uns patetas quaisquer de repente vêem-se cheios de poder e dinheiro e já se acham superiores aos outros.

Há gente muito mal formada à frente dos destinos do país. Muito mal formada mesmo. Gente que nunca poderia ter um emprego com responsabilidades públicas.

publicado às 21:37


comédia em 3 actos

por beatriz j a, em 24.06.10

 

 

...desaparecimento de processos

 

Alberto Martins comentou a decisão da comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais de pretender ouvir outras entidades sobre o desaparecimento de 14 721 processos crime com recurso a arma de fogo da base de dados relativa à estatística da criminalidade entre 2005 e 2009.

 

Defendemos a verdade, toda a transparência, o reforço da consistência dos dados estatísticos, elementos que são fundamentais para apreciação do funcionamento e evolução da Justiça”, declarou.

 

 

acto 1 - Um 'erro técnico' fez misteriosamente desaparecer 14 721 processos crime com arma de fogo.

acto 2 - Sai uma declaração do governo a dizer que a criminalidade baixou.

acto 3- Misteriosamente os processos reaparecem.

 


publicado às 14:57


estradas que levam a lado nenhum

por beatriz j a, em 24.06.10

 

 

Dinheiro dos centros escolares será desviado para estrada em Gaia. JN

 

A educação está sempre em último lugar...

 


publicado às 09:47

 

 

 

Foi um fim-de-semana agitado em Rio de Mouro, principalmente na noite de sábado para domingo na Escola Básica 2 + 3 de Fitares. Na segunda-feira de regresso ao trabalho, os professores repararam que quatro computadores com informações importantes tinham sido roubados e  havia vários cacifos arrombados. Mas há partes do enredo que ainda estão por desvendar.
“Um funcionário da escola disse-me há pouco que uma rapariga que trabalha no refeitório fez a festa de casamento aqui na escola”, contou ontem ao i  fonte desta escola. “Disseram-me que houve tiros de madrugada e que o casamento acabou por volta das 4h00 da manhã”, acrescentou ainda.
“Isso ainda não é possível saber. A directora deu ordens para ninguém falar”, respondeu a mesma fonte quando questionada sobre a possibilidade de ter havido feridos durante o tiroteio. “As escolas podem ter actividades e ceder os espaços para actividades de interesse público. Porém essas situações têm de ser homologadas em conselho geral”, referiu. “Mas um casamento não tem nada que ver com isto. A directora já deu ordens lá dentro para ninguém abrir a boca, mas os seguranças confirmaram o roubo dos computadores”, frisou. Quando questionada sobre como surgiu uma autorização para um casamento na escola, referiu que “tem que ver com a forma da directora ser, não tem a noção da responsabilidade que é exercer um cargo de interesse público. É o mesmo que um funcionário das Finanças dar uma festa numa repartição”.
Outra fonte da mesma escola descreveu ao i o que se passou nas instalações: “Houve aqui uma grande confusão na noite de sábado para domingo. Havia muitas pessoas a quererem entrar na escola e imenso barulho. Há pessoas que vão apresentar ou já apresentaram queixa à PSP.”

 

Estamos no farwest. Há bebida, sexo e tiros no saloon. Só que o saloon é o refeitório de uma escola.

É este o resultado do ministério da Maria de Lurdes Rodrigues, que esta ministra orgulhosamente contiunua.

Deram aos directores das escolas poderes de reis déspotas e agora dá nisto.

Quem é esta directora de escola e porque é que o ministério da educação gosta especialmente deste tipo de pessoas?

Qualquer dia ainda veremos notícias de uma escola qualquer que de dia funciona como escola e de noite como casa de alterne.

 

 


publicado às 09:24


música para acordar

por beatriz j a, em 24.06.10

 

publicado às 07:24


os nomes das coisas

por beatriz j a, em 23.06.10

 

 

Estive a ver no blogue do Ramiro Marques que há propostas de revisão curricular - ainda não fui ver mas já desgostei dos nomes. Secundário inferior e superior....que nomes tão mal postos, a dar ideia que uns são inferiores a outros. As palavras com que se nomeiam as coisas são muito importantes para as dignificar...ou não dignificar.

Depois achei ridícula a ideia de uma hora semanal de educação sexual e cívica, embora não tenha percebido se é na mesma hora, quer dizer, meia hora de sexo e a seguir de civismo? Ou primeiro aulas de civismo e depois sexo...lol. Parece-me muito sexo, uma hora por semana.

Vou ler a proposta.

 

publicado às 19:43


coisas boas inesperadas

por beatriz j a, em 23.06.10

 

 

acaba de me bater à porta um tipo da Zon. Fui abrir a porta, ouço grande exclamação: 'Olha a minha professora de Filosofia! Lembra-se de mim? Sou o Tiago da turma do tal e do tal.' Lembrei-me. Passou para o 4º ano de medicina dentária, anda a trabalhar nas férias para ganhar algum.

Teve piada.

 

publicado às 19:40


provincianos da cidade

por beatriz j a, em 23.06.10

 

 

 

Hoje tive uma discussãozinha com uma colega...lol Há províncianos da província, que são aqueles que nunca viram nada e ficam a olhar para tudo como boi para palácio e há províncianos da cidade que pensam que trabalhar numa escola de Lisboa lhes dá uma espécie de superioridade intelectual de modo que nos dizem repetidas vezes que isto e aquilo é o que se faz nas suas escolas, chocadíssimos por não irmos a correr fazer igual e até discordarmos...lol   Um bocado como aqueles que acham que dar aulas ao secundário em vez de da rao básico lhes confere uma superioridade qualquer...

Opá, acho que ando um bocado azeda. Devo estar a precisar de férias.

publicado às 19:11


ECD

por beatriz j a, em 23.06.10

 

 

 

Foi finalmente publicado o ECD - a única alteração importante é o fim da divisão de professores em titulares e outros. O resto está como a outra queria, ou até pior, no que respeita à progressão na carreira. A montanha custou a parir e pariu um rato. O resto está igual: estatuto do aluno, confusão dos currículos.

As pessoas com quem falei estão divididas: são contra os mega-agrupamentos mas gostavam muito de ver certos directores e adjuntos que reinam há décadas voltarem a ser professores, sem mais cenas.

publicado às 19:02



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics