Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Os nossos representantes

por beatriz j a, em 03.06.12

 

 

 

 

Cada vez é mais difícil engolir a visão da miséria. Cada vez é mais difícil aceitar que temos todos que sofrer na pele para salvar os bancos e os políticos que gastaram como reis o dinheiro que não era seu; cada vez é mais difícil fechar os olhos às empresas públicas crivadas de dívidas onde os administradores se encheram com prémios de milhões à custa de todos nós; cada vez é mais difícil aceitar que temos que pagar mais e mais impostos a triplicar para honrar os compromissos que os corruptos assumiram em nosso nome para nos esventrarem.

Queremos pagar as nossas dívidas, sim, mas não presenteando aqueles mesmos que hipotecaram o futuro dos filhos de todos nós.

Queremos pagar as nossas dívidas, sim, mas queremos a justiça dos cortes e dos sacrifícios começarem por aqueles que mais nos prejudicaram.

Queremos pagar as nossas dívidas, sim, mas queremos a acção de interromper imediatamente todos os negócios que os corruptos ainda mantêm, rapaces dos dinheiros públicos.

O país não é dos bancos, não é do Parlamento, não é de umas firmas de advogados, não é de umas empresas: o país é de todos nós e os nossos representantes têm que nos representar a nós ou ir-se embora.

 

publicado às 11:02


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Edicoespqp.blogs.sapo.pt statistics