Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





25 de Novembro de 75

por beatriz j a, em 25.11.08

 

 

Memória de uma cidadã anónima:

 

Lisboa, liceu D. João de Castro.

A meio da manhã, na aula de Português do 6º ano (agora 10º).

Uma funcionária abre a porta e diz:

- senhor professor, temos que sair depressa, a escola vai fechar.

- Mas o que se passa? Perguntou o professor.

- Parece que andam aos tiros ali na Ajuda - diz a funcionária.

 É a rebaldaria total na sala de aula.

Saímos todos a correr; encontro no corredor a minha irmã M..

Olhamos uma para a outra e, em grande excitação, sai-nos quase ao mesmo tempo: vamos ver a guerra!

Bem dito, bem feito. Desatámos a correr pela rua abaixo - aquela que vem desde o Alto de Santo Amaro até cá abaixo à Junqueira (não me recordo do nome). Aliás, vinha o Liceu inteiro, mais os da Escola Ferreira Borges, ao lado, a correr desenfreados pela rua abaixo.

Andavam rumores no ar, como era costuma na época. Falava-se em guerra civil. Dizia-se que o Jaime Neves andava em Chaimites a disparar tiros na Calçada da Ajuda.

Quando chegámos ao jardim, na Ajuda, estava tudo cheio de gente, a ver a guerra...

Lembro-me da minha irmã a discutir com um dos Comandos que estava a barrar a rua para que ele a deixasse ir ver a guerra de perto. Ele a mandá-la para trás, e ela a discutir com ele: para trás? Então isto é como antigamente que estamos proibidos de ir onde queremos? Já não há Salazar, agora há liberdade e se eu quiser ir ver a guerra vou.

O homem nunca perdeu a paciência com ela.  As coisas em Lisboa eram diferentes. Eu, vinda do Alentejo há poucos meses, achava que aqui em cima era tudo mais ou menos uma brincadeira.

Mais tarde,  vi na televisão (penso que nesse dia, mas já não tenho a certeza) o Ramalho Eanes, em cima dum tanque, mãos na cintura em ar de desafio. Em Évora. Lembro-me de pensar que ele tinha muita coragem, porque aquilo em Évora não era uma guerra a brincar como em Lisboa.

Lá em baixo ninguém se punha a discutir com os Copcons do Otelo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:53



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog