Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

Ao pescador de carangueijos, mayor de Tangiers, uma ilha na Virgínia que perdeu dois terços de massa terrestre, tem os quintais já submersos e está a ser engolida pelo mar mas, mesmo assim, não acredita que as alterações climáticas tenham mão humana e acredita que Deus vai tomar conta deles...

Serão, talvez, os primeiros refugiados das alterações climáticas. Um novo tipo de refugiados...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:03

 

Climate change to cause humid heatwaves that will kill even healthy people

The new analysis assesses the impact of climate change on the deadly combination of heat and humidity, measured as the “wet bulb” temperature (WBT). Once this reaches 35C, the human body cannot cool itself by sweating and even fit people sitting in the shade will die within six hours.

The revelations show the most severe impacts of global warming may strike those nations, such as India, whose carbon emissions are still rising as they lift millions of people out of poverty.

(...)

The limit of survivability, at 35C WBT, was almost reached in Bandar Mahshahr in Iran in July 2015, where 46C heat combined with 50% humidity. “This suggests the threshold may be breached sooner than projected,” said the researchers.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:30

 

 

organizadas por país

 

 organizadas por região

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:05


Planeta sustentável - 'ice stupas'

por beatriz j a, em 21.06.17

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:04


O pegada humana é pior que uma bomba atómica

por beatriz j a, em 01.03.17

 

 

 

Trinta anos depois do desastre, Chernobyl está cheia de vida vegetal e animal, ao contrário do que acontecia quando a central nuclear estava a funcionar normalmente. Conclusão: o homem é pior para o ambiente que uma bomba atómica.

De Chernobyl:

 

 

 

 

 imagens da NG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:58

 

 

At the close of 2016, the Oxford English Dictionary declared “post-truth” its word of the year. The adjective is defined as “relating to or denoting circumstances in which objective facts are less influential in shaping public opinion than appeals to emotion and personal belief.” But Earth and its breath — the climate — paid no heed. Nature had its own declaration, ending 2016 as the hottest year in the global record, the third consecutive record-breaking year.

 

The climate does not care that new Secretary of State Rex Tillerson, the former Exxon Mobile CEO, and Oklahoma Atty. Gen. Scott Pruitt, nominee to lead the Environmental Protection Agency, continue to repress the scientific consensus that greenhouse gas emissions are causing its warming.

 

The oceans — their sea levels, temperatures and acidity all on the rise — do not read Breitbart News in the United States or the Daily Mail in the United Kingdom, which by spreading science denial put the most vulnerable at risk.

Regardless of alternative facts, fake news or scientific censorship, nature tells the truth. 

That truth will flood in torrential rains. It will sear in extended droughts. It will sweep into coastal homes, especially where it has been suppressed; in North Carolina, for example, where the state general assembly banned the use of sea-level rise projections in coastal policymaking, and in South Florida, where thousands of condos and rental apartments are under construction in areas known for serious tidal flooding.

 

As in historic droughts, floods and hurricanes, the wealthy — including the peddlers of falsehoods — will be able to move or bunker up. Those who are poorer, and the ill-prepared, will be left to face the truth directly. “Post-truth” may be the word of the year, but nature always has the last word.

Cynthia Barnett

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:15

 

 

Les scientifiques ont établi plusieurs scenarii de fin du monde, de la chute d’un astéroïde géant à une invasion extraterrestre. Lequel vous semble le plus crédible?

Le plus probable, c’est celui qui est déjà là, ce qui est en train de se passer. Le réchauffement climatique, la pollution généralisée, l’érosion de la biodiversité. Nous sommes déjà plongés dedans. La question est de savoir jusqu’où cela va aller ? Ce qui est terrifiant aujourd’hui c’est l’augmentation de la température terrestre. Pourtant les gens vivent comme si tout cela n’existait pas. Si je me pose la question de savoir comment sera la Terre dans trente ans, et son habitabilité, je ne peux vous le dire.

 

Hubert Reeveswww.hubertreeves.info 

 

(Os cientistas estabeleceram vários cenários do fim do mundo, desde a queda de um asteróide gigante a uma invasão extra-terrestre. Qual vos parece mais credível?

O mais provável é o que já existe, o que está a acontecer. O aquecimento climático, a poluição generalizada, a erosão da biodiversidade. Já estamos mergulhados nesse cenário. A questão é saber até onde iremos chegar? O que é aterrador hoje em dia é o aumento da temperatura terrestre. No entanto, as pessoas vivem como se nada disso existisse. Como será a Terra daqui a trinta anos e a sua habitabilidade não o sei dizer.)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:36


Vem aí uma mini era do gelo

por beatriz j a, em 17.11.16

 

 

 

 

VEM AÍ UMA MINI ERA DO GELO COM CONSEQUÊNCIAS CATASTRÓFICAS PARA A TERRA

A actividade solar está a diminuir a um ritmo mais rápido do que em qualquer outro momento na história. Os cientistas prevêem que a tendência vai continuar ao longo dos próximos quatro anos, levando a Terra a uma mini idade do gelo – depois da qual as consequências do aquecimento global voltarão em força. 

A investigadora, Valentina Zharkova, sublinha a necessidade de não abandonar a luta contra o aquecimento global durante o eventual período “gelado”, nem ignorar os seus efeitos e presumir que não está a acontecer, mas antes agir do ponto de vista de que “o Sol vai emprestar-nos tempo para controlarmos as emissões de carbono”.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:22

 

 

E isso inclui-nos a todos porque não há fronteiras na atmosfera, nos oceanos ou nos rios e os outros animais não sabem nada de fronteiras humanas.

 

 Devido à subida do nível do mar. Casas e terrenos afundam-se.

DISAPPEARING HOMES,ARKA DUTTA

 

 

Isto não é um vulcão. São os incêndios recorrentes consequência dos últimos anos de seca dramática na Califórnia.

THE MORGAN FIRE EXPLODES, ERIC SMITH.

 

 Irão - 40% da água do país desapareceu nos últimos 10 anos.

MUD, NOSRAT A. TARIGHI.

 

Os ursos polares já não conseguem caçar apenas no gelo. São obrigados a procurar alimento perto de estabelecimentos do ser humano. O aquecimento global altera o comportamento dos animais o que pode provocar conflitos entre pessoas e ursos
ONE TO FIVE, VLADIMIR MELNIK

 

 

Singapura - CLIMATE FACTORIES,TERENCE CHIEW

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:43

g.a


3-8-12



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



PageRank