Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Educação - terceira nota

por beatriz j a, em 13.07.17

 

 

Uma das coisas que me parece fazer-se muito mal nas escolas é a distribuição de serviço. Grandes disparidades: pessoas com excesso de turmas e outras quase sem turmas e uns projectos ridículos ou, até, perigosos, no sentido de prejudicarem, apenas para term muitas horas de fazer nada nos horários. É uma vergonha... pessoas exigirem privilégios de só darem aulas a turmas e alunos escolhidos e outros sempre carregados com aulas e turmas complicadas... é uma vergonha. Como costumo dizer, uns são o caixote do lixo dos outros.

 

Enfim, antes da Lurdes Rodrigues dar cabo das escolas com os titulares e chegarem lá pessoas ávidas de poderes e privilégios ridículos, organizávamos (pelo menos no meu grupo) os horários com critérios que servissem o interesse dos alunos e assegurassem uma certa justiça entre pares: distribuíamos entre todas as turmas do 10º ano que são as mais complicadas; distribuíamos entre todas, turmas boas e más, para que ninguém ficasse sobrecarregado e acabasse a prejudicar os alunos. Assegurávamos continuidade pedagógica. Depois, no que sobrasse punhamo-nos de acordo de modo a irmo-nos revezando nos anos, turmas, cargos, etc. É bom toda a gente saber o que certos trabalhos implicam.

 

Agora já não é assim. Em nenhum grupo. As pessoas acham que a idade é um posto e exigem ter as boas turmas e passam uma dúzias de anos ou o resto da vida sem pegar numa turma complicada, sempre em horários priviligiados. Enfim... uma vergonha...

 

Eu continuo a fazer o que fazia porque acho que é o correcto. Todos os anos quero ter, pelo menos, uma turma de 10º ano. Dessas, quero uma de Humanidades, porque são, de longe, as turmas mais díficeis de trabalhar, quer no comportamenteo, quer no estudo. As turmas de Ciências, mesmo quando têm alunos fracos, vêm meio endoutrinadas acerca de terem que disciplinar-se para passar a Matemática, a Física, etc.; mas as de Humanidades, essa área de estudos que vem sendo destruída no mundo inteiro, são constituídas por uma maioria de alunos que vai para ali porque lhes disseram que não têm que estudar porque de qualquer modo aquilo não serve para nada... É extremamente difícil pôr estas turmas a gostar seja do que for e a estudar ou empenhar-se seja no que for. Às vezes as de Artes também são assim, mas menos.

 

 

Ora, não quero perder a capacidade de saber lidar com uma turma complicada e, é um desafio que me obriga a ser melhor, esse de ser capaz de pôr alunos que vêm do básico num estado lastimável, cheios de negativas, a interessarem-se por compreender e estudar, de modo que quero ter uma turma dessas que me incomode ou, desacomode, melhor dizendo. 

E depois, nessas turmas, de vez em quando, há alunos com grande talento para a área em que estão mas que o desconhecem completamente e não sabem tirar partido do seu talento. E gosto de ajudar essas pessoas, por razões que agora não interessam.

É tão extraordinário trabalhar com uma turma com bons alunos que respondem a tudo com entusiasmo como chegar ao fim de um ano com a outra turma fraca e desinteressada, a conseguir passar de ano sem favores, sendo que tudo começou por ser tirado a ferros, mas acabou com sucesso. Agora, é certo que, se só tivesse turmas de 10º ano com estas caracterísricas, dava em doida e dava cabo de alguém...

 

Enfim, devia haver critérios racionais na distribuição e serviço que assegurassem uma certa equidade entre os professores porque o contrário não serve o interesse dos alunos. E se a escola não serve o interesse dos alunos, serve para quê? Isso não digo que fica mal...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:20

g.a


3-8-12




no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



PageRank