Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:44


Dia da Terra II - Christina Figueres

por beatriz j a, em 22.04.17

 

 

Christina Figueres, a arquitecta do acordo de Paris, quer cortar as emissões de carbono em três anos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:32


Dubai: dessalinizar a água do mar

por beatriz j a, em 22.04.17

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:14


Soluções de energia limpa

por beatriz j a, em 22.04.17

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:11


Hoje é o dia da Terra

por beatriz j a, em 22.04.17

 

 

E também o dia em que David Attenborough faz anos. Parabéns!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:02

 

Why you need to question your hippo boss

 

But how often is the unchallenged boss's decision correct? Far from all the time if a study by the Rotterdam School of Management is to be believed.

The report found that projects led by junior managers were more likely to be successful than those that had a senior boss in charge, because other employees felt far more able to voice their opinions and give critical feedback.

Balazs Szatmari, the lead author of the study, says: "The surprising thing in our findings is that high-status project leaders fail more often.

"I believe that this happens not despite the unconditional support they get, but actually because of it."

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:51


A Gastrofísica e o meu jantar

por beatriz j a, em 20.04.17

 

 

Outro dia ouvi na BBC uma entrevista do indivíduo que cunhou o termo, gastrophysics, a propósito do livro que vai publicar proximamente. Entre outras coisas, dizia que a comida, se provada num prato com azul, era percepcionada como mais salgada. Hoje lembrei-me disso e não pus praticamente sal no jantar para ver se é verdade :))

 

IMG_0753.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:41


Night and Day

por beatriz j a, em 20.04.17

 

 

 Sakalah

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:21


Antes do movimento

por beatriz j a, em 20.04.17

 

 

 AUDEMARS PIGUET

TOURBILLON 
RÉPÉTITION  
MINUTES SQUELETTE 
(W054) © 2006

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:07


A poesia é um consolo III

por beatriz j a, em 19.04.17

 

 

 

 

IMG_0762.jpg

IMG_0764.jpg

IMG_0765.jpg

IMG_0766.jpg

IMG_0768.jpg

IMG_0771.jpg

daqui:

IMG_0772.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:47


A poesia é um consolo II

por beatriz j a, em 19.04.17

 

 

IMG_0761.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28


A poesia é um consolo

por beatriz j a, em 19.04.17

 

 

IMG_0754.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:04


Mesmo planeta, outro mundo

por beatriz j a, em 19.04.17

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:35

 

Jovem de 17 anos que morreu com sarampo não estava vacinada

 

Essa é a questão que importa perceber. Não é que os médicos tenham deixado de aconselhar as pessoas a vacinar as crianças, é que a ciência, em geral, tem vindo a perder credibilidade junto da opinião pública. A medicina, por exemplo, devido à excessiva mercantilização da indústria farmacêutica. Até há pouco tempo, a investigação científica era sujeita a critérios apertados e controlados: as pesquisas eram corroboradas por entidades externas, faziam-se ensaios gradativos, primeiro em animais e só depois em pessoas e sempre tudo controlado. Hoje em dia, com a pressa que as farmacêuticas têm em ter lucro com a venda de medicamentos, tudo é apressado e sem o rigor que costumava ter. Como consequência, todos os anos se descobrem grandes fraudes nas investigações científicas que obrigam à falsificação de resultados ou 'descobre-se' que a última 'descoberta' foi mal descobrida, perdoe-se-me a calinada... quem acompanha as discussões das editoras científicas de renome sobre as fraudes que lá se publicam por falta de revisores científicos que façam o seu trabalho, sabe como os padrões de qualidade que garantiam rigor baixaram drasticamente. À conta disso, aquilo que ontem era o mal radical, hoje é salvação da humanidade... todos os dias a ciência desdiz o que ontem era o dogma. Este estado de coisas chega à pessoa comum, que somos nós, através de grandes contradições nas informações e tratamentos, o que por sua vez leva as pessoas a perderem confiança na eficácia da medicina e acharem que a sua opinião é tão válida como a do cientista ou do médico. É parecido ao que se passa na educação: nós dizemos aos pais o que se passa com os filhos e qual é a 'terapia' necessária e os pais muitas vezes fazem o oposto porque acham que sabem tanto como nós acerca do assunto.

 

Aqui há meia dúzia de anos torci um pé. Como sou idiota nestas coisas e não ligo nada, achei que pôr o pé para cima durante uns dias era suficiente... não foi... fui 3 ou 4 vezes ao hospital e de cada vez apanhei um médico diferente que me dizia o oposto do que o anterior me tinha dito: se um me dizia para não pôr o pé no chão o outro dizia que tinha que forçar o pé a andar; um dizia para usar uma meia elástica, o outro punha as mãos à cabeça quando me via com a meia elástica, um ralhou comigo por eu não ter posto uma baixa médica, outro disse-me que não podia ficar parada... a certa altura ia lá para me receitarem anti-inflamatórios e analgésicos porque andava cheia de dores e num enorme stress, mas já não ligava nenhuma ao que me diziam porque nenhum me fazia melhorar um centímetro que fosse.

Por acaso tive sorte porque um dia que lá fui apanhei um daqueles médicos que só pela maneira como tocam e olham para as coisas mais as explicações que dão fazem-nos logo ver que estamos diante dum profissional de categoria superior. Resolveu-me o problema. Mas enquanto isso não aconteceu, a sensação que eu tinha era que os indivíduos que me viam não sabiam muito mais que eu acerca de como tratar a minha entorse.

Acho que é por isso que os pais deixaram de vacinar os filhos: porque a ciência em geral perdeu credibilidade, isso reflete-se nos que a praticam e afecta a percepção do utente sobre a eficácia dos tratamentos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:50

 

 

 

Drawdown

 

 

As 100 soluções mais substantivas para reverter o aquecimento global, baseadas em pesquisas rigorosas de cientistas de renome e decisores políticos de todo o mundo.

Em face do medo e apatia generalizados, uma coligação internacional de investigadores, especialistas e cientistas juntaram-se para propor um conjunto de soluções realistas e corajosas para as alterações climáticas. Cem técnicas e práticas são descritas aqui -algumas bastante conhecidas, outras que talvez nunca tenhamos ouvido falar. Vão desde a energia limpa até educar raparigas em países pobres, passando por práticas que eliminem as emissões de carbono. As soluções existem, são economicamente viáveis e, um pouco por todo o mundo, há populações a implementá-las com perícia e determinação. Se forem adoptadas colectivamente numa escala global, nos próximos 30 anos, representam um passo em frente credível, não apenas para desacelerar o aquecimento da Terra mas também para alcançar a sua redução, aquele ponto em que o efeito de estufa dos gases na atmosfera começa a declinar. Estas medidas são uma promessa de benefícios para a saúde, a segurança, a prosperidade e o bem-estar humanos, dando-nos razões para ver esta crise como uma oportunidade de criar um mundo mais justo e habitável.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:23

 

 

Não estando de acordo com tudo o que ele diz, sobretudo em termos de alternativas, pois o que resulta em certas situações com e, por causa, de certas pessoas dinamizarem as coisas com um certo estilo de liderança eficaz, não significa que resultasse para todos os casos em todas as situações. No entanto, ele também não defende que se imponha a sua maneira de trabalhar. Apenas aponta os erros ao que existe [diz qual foi a sua estratégia de solução] e, nisso estou completamente de acordo com as críticas que ele faz a este sistema que destrói mais que constrói.

 

De facto, hoje em dia, nas escolas, trabalha-se, apesar da incompetência, desnorte e erdoganismo das estruturas de decisão que são o MEC e as direções das escolas [a escolha de pessoas para cargos está ao melhor nível da República Popular da China] que são autênticos bulldozers de destruição maciça, mestres em desmotivar, até professores altamente auto-motivados. Estruturas incapazes de pensar, de admitir erros e, portanto, de auto-corrigir-se. Os professores que podem fogem, os outros vão morrendo aos poucos. Como os professores são quem trabalha com os alunos, matar a motivação dos professores significa matar as escolas, que não são edifícios, como ele diz, são pessoas.

 

 

(Hoje em dia é comum nas escolas, as pessoas que menos trabalham enquanto professores [as que exigem privilégios, como por exemplo, nunca trabalhar com as turmas tradicionalmente piores em comportamento e aproveitamento, ou ter só uma ou duas turmas, ou continuarem nos lugares pese embora os constantes maus resultados em tudo que fazem, apesar das condições de privilégio, ou terem uma posição em que podem faltar sem nunca ter falta, enfim... os que podem e mandam o trabalho pesado para cima dos outros], serem exactamente as que tomam decisões acerca de como se deve trabalhar, baseadas nos seus 'achismos', como diz este professor, geralmente de cariz económico, meramente burocrático [para ingês ver] ou subserviente, digo eu e, depois, as impõem, à força, aos outros, o que mostra as suas grandes insufuciências. As coisas que vemos e de que somos vítimas mais as coisas que os colegas contratados, que andam de escola em escola, nos contam... algumas são da ordem do surrealismo. Assim é difícil alguma coisa, alguma vez, mudar..) 

 

O que ele diz, Um professor não ensina aquilo que diz, transmite aquilo que é, aplica-se também à própria escola. Uma escola, digo eu, não ensina aquilo que diz, transmite aquilo que é, o que quer dizer que uma escola é uma pequena comunidade que reproduz a estrutura da sociedade: agora é só imaginar uma sociedade onde as crianças e os adolescentes crescem a observar o autoritarismo [que é diferente de autoridade, pois esta funda-se na competência e numa ética de trabalho], a falta de coerência nos processos e nas práticas, a imposição de todos terem que descaracterizar-se para serem iguais aos outros, a violência, o pessimismo constante dos que educam, a falta de respeito dos decisores que os tratam como números para encher turmas e não como pessoas em formação, etc.

 

Tantos artigos que aparecem nos jornais sobre educação e que evidenciam o total desconhecimento do que são os alunos em situação de aula e de aprendizagem, os tempos necessários para a interiorização e consolidação de conhecimentos, a importância do professor manter a sua integridade intelectual e moral no estabelecimento de laços éticos e afectivos com os alunos, o que são os condicionalismos dos currículos, o que é a dinâmica duma escola, a importância da cooperação entre professores... e depois, as soluções que propõem a partir destes 'achismos' que são como propôr pensos rápidos para travar hemorragias internas. É frustrante. E o pior é que bem podemos perorar que nada muda. Nada. Os políticos, em geral, trabalham para o voto...

 

Sendo assim, a única coisa que podemos fazer neste sistema é resistir a morrer, resistir a desintegrarmo-nos, resistir às imposições que pervertem a pedagogia, resistir à burocracia que existe apenas para esconder problemas e lembrar que a escola existe para os alunos, que somos professores para os alunos no quadro duma lei geral que existe e é superior a 'achismos' individuais, que não devemos fazer o que a nossa consciência nos diz claramente que é incorrecto e que somos responsáveis pelo nosso trabalho com os alunos, pela parte da formação [deles] que nos cabe e que esse, e não outro, é o objectivo que tem que nos nortear.

 

José Pacheco: «Procurem nas escolas professores que ainda não tenham morrido»

 

Um professor não ensina aquilo que diz, transmite aquilo que é. Poderá acontecer aprendizagem em sala de aula, se forem criados vínculos e esses vínculos não são apenas afetivos, também são do domínio da emoção, da ética, da estética… O que dizer da avaliação? Que quase não existe, nas escolas. Um ministro de má memória introduziu mais exames no sistema. Mais exames não melhoram o sistema, porque não é a preocupação com o termómetro que faz baixar a temperatura.

 

Na presente situação, os professores portugueses permitiram que o autoritarismo imperasse e que critérios de natureza pedagógica fossem desprezados. Permaneceram apáticos. Mais uma vez, nada fizeram para acabar com a impunidade. É estranho e pesado esse obsceno silêncio. O professor assume dignidade profissional, sendo autónomo-com-os-outros.

 

Os professores portugueses deveriam procurar caminhos de alforria científica e a sua maioridade educacional, sem prescindir do que venha do estrangeiro. Novidades importadas não passam de inovações requentadas.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:56

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:33


I am ice

por beatriz j a, em 19.04.17

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:21

 

 

A poeta síria-americana, Amal Kassir.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 21:52


Voltar à escola a meio da semana...

por beatriz j a, em 18.04.17

 

 

... não dá jeito nenhum. Se temos turmas apenas à 2ª e 3ª, o que acontece, ficam com uma semana de atraso em relação aos outros, o que é muito num período tão pequenino como este vai ser.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:42

g.a


3-8-12



no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


subscrever feeds


Pesquisar

  Pesquisar no Blog



PageRank