Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





os 'gestores da nossa vida'

por beatriz j a, em 19.07.10

 

 

Quando ouvi o Paulo Portas no Parlamento sugerir que os três partidos maiores se juntassem numa coligação no poder assustei-me e isso tem-me preocupado, embora não soubesse ao certo porquê. Agora, a ler o livro do Slavoj Žižek, Violência, percebi o porquê da peocupação, ao ler a seguinte frase dele, "Hoje a variedade predominante da política é a biopolítica pós-política - impressionante exemplo de gíria teórica que, no entanto, se pode decifrar com facilidade: a «pós-política» é uma política que afirma deixar para trás os velhos combates ideológicos para se centrar, em alternativa, na gestão e administração especializadas, enquanto a «bio-política» designa como seu objectivo principal a regulação da segurança e do bem-estar das vidas humanas. (...)quando se renuncia às grandes causas ideológicas, tudo o que resta é a administração eficaz da vida..."

Pois foi isto que me assustou. A proposta do Portas equivale a dizer: olhem, nós no fundo não somos diferentes, estamos todos aqui para o mesmo e uma vez que somos os partidos que chegam ao poder, dum modo ou doutro, porque não juntarmo-nos duma vez para tratar da nossa vida. É claro que isso não se poderá fazer com o Sócrates dada a sua tendência para o estilo ditatorial e a sua ganância e incapacidade em partilhar o bolo, mas com outro qualquer mais razoável, tratávamos todos da vida pois é óbvio que andamos todos ao mesmo.

Assustador.

É por isso também que os sindicatos deixaram de cumprir o seu papel: porque adoptaram o discuso dos 'gestores da nossa vida' (que há muito não são políticos) desde que renunciaram a um vector de orientação ideológico ou filosófico.

 

"O Nietzsche, que via muito bem o futuro, vaticinou que a Civilização Ocidental estava a caminhar na direcção do Último dos Homens, uma criatura apática, sem grandes paixões nem grandes lealdades. Incapaz de sonhar, cansado da vida, não assume riscos, não assume responsabilidades", escolhe não escolher, não se entregar, não se comprometer. Limita-se a procurar conforto e segurança e manifesta uma tolerância cinzenta a tudo: «um pouco de veneno de vez em quando provoca sonhos felizes. E muito veneno no fim, em vista de uma morte agradável. Têm os seus pequenos prazeres para o dia, e os seus pequenos prazeres para a noite, mas sempre tomando cuidado com a saúde» (Assim Falava Zaratrusta)

 

Podíamos acrescentar: drogam-se das 3 às 5 num coffe-shop em Amsterdão, mas com receita médica e moderação; vão ao red-light district onde pedem factura à menina, ou menino, para descontar nos impostos mas não querem nada com sentimentos; pertencem a um grupo de ajuda às baleias, à sobrevivência dos gladíolos cor-de-rosa e tal, mas nada de que exija sacrifícios. Em suma, uma 'vidinha' morna, sem ambições filosóficas, existenciais, apenas algo que fique bem na fotografia e não obrique a grandes decisões.

 

Por isso admiro as pessoas com propósito, capazes de lealdade, de sacrifício, se for preciso e, acima de tudo, capazes de convicções e verdade: desde o Sócratres (o filósofo) e o Platão, ao Galileu e ao Kant, ao Jimi Hendrix  e a outros da geração dele que procuravam a droga, não para 'estar na boa' mas para alargar a mente com os riscos que isso implicava e que os levou à morte. Não que eu defenda a droga ou que eu ache que é preciso drogar-se para expandir a mente, mas se o fazem...porra, ao menos façam-no a sério para ir ao fundo das coisas sem medo e não finjam para efeitos de currículo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:38

g.a


3-8-12




no cabeçalho, pintura de Paul Béliveau. mail b.alcobia@sapo.pt

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D



Pesquisar

  Pesquisar no Blog



PageRank